Engenharia multidisciplinar, na fronteira entre pesquisa e indústria

A melhor descrição da Engenharia Física é a área da aplicação e aproveitamento dos fenômenos físicos modernos para o desenvolvimento das tecnologias do futuro. O(A) engenheiro(a) físico(a) é um(a) profissional que consegue criar, desenvolver e implementar soluções inovadoras para resolver problemas tecnológicos complexos, devido ao seu domínio de ambas a física e a engenharia. A formação adquirida ao longo do curso é de caráter multidisciplinar, preparando o(a) engenheiro(a) egresso(a) a trabalhar eficazmente em equipes constituídas de diversos profissionais. Ele(a) está apto(a) a atuar em todas as áreas de tecnologias de ponta, como nanotecnologia, telecomunicações, robótica, inteligência artificial, automação, etc., tanto na indústria quanto em centros de pesquisa.

No exterior, o curso de Engenharia Física existe há mais de 60 anos em excelentes universidades e os(as) egressos(as) possuem excelente empregabilidade em diversas áreas do mercado de trabalho, como na indústria, em empresas de tecnologia, centros de pesquisas, instituições financeiras etc. No Brasil, é uma carreira emergente que vem ao encontro de uma demanda crescente desse tipo de profissional versátil, que possa se situar na fronteira entre a pesquisa e a indústria, em áreas estratégicas do desenvolvimento sustentável do país.

Devido à sua natureza multidisciplinar, o curso de Engenharia Física da Unicamp conta com a participação de várias unidades de ensino, especialmente o Instituto de Física “Gleb Wataghin” (IFGW), o Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica (IMECC), a Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e a Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC). Portanto, o(a) aluno(a) terá contato direto com diferentes unidades da Unicamp, de excelência nacionalmente reconhecida, tendo a oportunidade de interagir com docentes e discentes de diversos perfis.

Currículo e diferenciais

O curso de Engenharia Física é ministrado em período integral e pode ser integralizado em cinco anos. O catálogo de disciplinas foi elaborado de forma a oferecer esta formação multidisciplinar, com disciplinas de formação básica nos primeiros semestres e disciplinas específicas profissionalizantes nos semestres avançados. O(A) aluno(a) poderá adquirir conhecimento mais aprofundado em determinadas áreas de seu interesse devido ao amplo leque de disciplinas eletivas (optativas). O curso contempla várias disciplinas práticas, onde o(a) aluno(a) poderá aprender através de experimentos e projetos desenvolvidos por ele/a mesmo em laboratórios básicos e avançados. Além do aprendizado em sala de aula e laboratórios, o(a) aluno(a) poderá expandir sua formação participando dos diversos programas extracurriculares tanto na própria universidade, como iniciações científicas e sociedades técnicas estudantis, quanto fora dela, como estágios e intercâmbios, inclusive duplo-diplomas.

Entre os diferenciais está a localização da Unicamp, em meio a vários pólos tecnológicos, onde há pequenas e grandes empresas, na vizinhança de centros de pesquisa nacionais. Outra vantagem é a oportunidade de cursar uma parte da sua formação de engenheiro(a) físico(a) no exterior, por um semestre ou concluir um duplo-diploma. Para favorecer os contatos dos alunos com o mercado de trabalho, o curso tem projetos em parceria com várias empresas.

Ingresso

Para cursar Engenharia Física na Unicamp, os candidatos devem optar no momento da inscrição no vestibular pelo curso de ingresso comum para: Engenharia Física, Física, Matemática e Matemática Aplicada e Computacional, o chamado Curso 51. No terceiro semestre é que esse(as) aluno(as) devem escolher entre um dos cursos citados. O curso de Engenharia Física oferece 15 vagas, se distribuindo entre às ênfases em Optoeletrônica e em Produção Tecnológica. Se o número de interessado(as) em cursar Engenharia Física for maior que 15, o(a)s 15 aluno(as) que ingressarão no curso naquela oportunidade serão selecionado(a)s por critério acadêmico que levará em conta o desempenho acadêmico do(a) aluno(a) nas disciplinas obrigatórias do Curso 51 (curso de ingresso no vestibular) e o Coeficiente de Progressão (CP), considerando-se as disciplinas do Currículo Pleno do curso de Engenharia Física. O processo de ingresso toma em conta uma bonificação para o/as aluno/as de ensino médio público e cotas étnico-raciais similares àquelas em vigor no ingresso no curso 51. O(A) aluno(a) que não conseguir ser aceito(a) para o curso de Engenharia Física pode continuar a cursar as disciplinas dentro do curso de Física, que possui grande similaridade de disciplinas, portanto continuando sua progressão acadêmica, e tentar novamente a permuta para o curso de Engenharia Física nos processos de ingresso seguintes ou por vagas liberadas de turmas anteriores.

 

 

 

 

 

 

Vida Acadêmica

 

 

 



Galeria de imagens
INSTITUTO DE FÍSICA GLEB WATAGHIN