21/11/2010 / Em: Releases

 

Na disputa por umas das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase do Vestibular Unicamp 2011 neste domingo, 21 de novembro, em 24 cidades brasileiras. A abstenção foi um pouco maior que no vestibular passado: 6,86% contra 5,33% no ano anterior. Dos 57.209 inscritos no Vestibular 2011, 3.925 candidatos não compareceram para fazer o exame. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) vai divulgar o gabarito das questões até terça-feira e a expectativa da banca de redação até sexta-feira. A prova está disponível nesta página, bem como os índices de abstenção por cidade. A lista de aprovados na primeira fase será divulgada no dia 20 de dezembro, nesta página. juntamente com os locais de prova da segunda fase, que acontece entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. As provas de aptidão, para os cursos que as exigem, serão feitas entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas.

Na prova da primeira fase da Unicamp deste ano, o candidato foi solicitado a produzir três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória, e a responder 48 questões de múltipla escolha elaboradas com base nos conteúdos das diversas áreas do conhecimento desenvolvidas no ensino médio, segundo a seguinte distribuição: 12 questões de Matemática; 18 questões de Ciências Humanas e Artes; e 18 questões de Ciências da Natureza. 48 pontos são atribuídos à redação e 48 pontos às questões de conhecimentos gerais, perfazendo o total de 96 pontos. São eliminados do vestibular os candidatos que obtiverem nota zero na parte de redação ou na parte de conhecimentos gerais. Para a segunda fase são convocados os candidatos que obtiverem nota igual ou superior a 54 pontos na primeira fase, em número mínimo de três e máximo de oito vezes o número de vagas do curso escolhido em primeira opção.

De acordo com Renato Pedrosa, coordenador executivo da Comvest, a prova de redação deste ano tentou renovar o debate em torno da avaliação da escrita e da leitura no país, após um longo período de discussão na Unicamp, que indicou o modelo a ser aplicado. “O Vestibular da Unicamp sempre valorizou muito a parte da linguagem, que ainda apresenta carência no Brasil”, disse o coordenador. “Apresentamos um modelo novo, diferente da simples dissertação ou narração. Mudamos o estilo de prova de redação”, completou.

Já a prova de conhecimentos gerais, exigiu dos candidatos conhecimento integrado dos conteúdos do ensino médio, tendo abrangido vários tópicos dentro das diferentes disciplinas. A questão 31 – que solicitava que os candidatos analisassem a reprodução do quadro Lês Travailleurs, de Maître de Talbot, por exemplo, abrangia aspectos artísticos, além de história e geografia. Várias questões tinham um enunciado comum. As de número 12, 13 e 14 mesclavam conceitos de física, química e matemática, por exemplo, a partir do mesmo enunciado. O grau de dificuldade das questões foi variado. Muitas delas abordavam aspectos do cotidiano, em que o candidato deveria aplicar os conhecimentos adquiridos a partir de assuntos atuais.

A primeira fase foi realizada nas seguintes cidades: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos.