01/08/2013 / Em: Clipping

 


Governo desiste de incluir dois anos extras na graduação de medicina   (Globo.Com – G1 Educação – 31/07/13)

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta quarta-feira (31) que o governo decidiu alterar um dos pontos do programa Mais Médicos: o que previa a ampliação de seis para oito anos do período de graduação em medicina – nos dois anos extras eles teriam de prestar serviços no Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o ministro, o governo decidiu acatar a proposta de comissão de especialistas que analisa o programa. Pela proposta, os dois anos extras serão aproveitados como residência médica, que tem caráter de especialização e atualmente não é obrigatória. Com isso, os estudantes de medicina não ficariam impedidos de se formar após os seis anos de curso. Se prevalecesse a proposta original do programa Mais Médicos, a formação em medicina poderia durar até dez anos: oito de graduação (obrigatórios) e dois de especialização (residência médica). Segundo a nova proposta, os médicos recém-formados farão a especialização durante a residência médica, como atualmente, mas, no primeiro ano, a atuação será necessariamente no setor de urgência e emergência de uma unidade do SUS. No segundo ano, o recém-formado atuaria na área de especialização que escolheu.

‘Bom senso’, diz reitor da Unicamp após governo anular curso de 8 anos   (Globo.Com – G1 Educação – 31/07/13)

O reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), José Tadeu Jorge, avaliou de forma positiva a decisão do governo federal em desistir de ampliar, de seis para oito anos, o tempo de graduação em medicina. A mudança foi anunciada nesta quarta-feira (31) pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Antes do Executivo recuar, a institução divulgou uma carta aberta para criticar a alteração na grade curricular. “Na minha opinião, prevaleceu o bom senso. A universidade possui autonomia pedagógica, estamos falando de currículo e formação de profissionais. Ela tem competência para avaliar se dois anos a mais, ou seis meses, por exemplo, é bom ou não. A proposta teria que ser discutida, não anunciada como medida do Executivo”, explicou. O ponto do programa Mais Médicos previa a atuação dos universitários em serviços no Sistema Único de Saúde. De acordo com Mercadante, o governo decidiu acatar a proposta da comissão de especialistas coordenada pelo ex-ministro Adib Jatene que analisa o programa. Pela proposta, os dois anos extras serão aproveitados como residência médica, que tem caráter de especialização e atualmente não é obrigatória. Com isso, os estudantes de medicina não ficariam impedidos de se formar após os seis anos de curso.



“O Brasil tem muito a oferecer para as universidades britânicas”, diz Christopher Higgins, da Universidade de Durham   (Universia Brasil – Brasil – 30/07/13)

A Universia Brasil conversou com o diretor da Universidade de Durham, Christopher Higgins, localizada no Reino Unido. Ele nos contou, entre outras coisas, sobre as parcerias com o Brasil, a relação com os estudantes brasileiros e como as pesquisas brasileiras podem ajudar a universidade britânica. A seguir, confira a entrevista na íntegra:
 
Como a Universidade de Durham funciona? Quais são os projetos em andamento?
 Apesar da Universidade de Durham ser uma das instituições de ensino mais antigas do mundo, a universidade dispõe de modernos centros de pesquisas e bibliotecas completas, sendo um dos cinco maiores estabelecimentos de ensino superior no Reino Unido e um dos 100 maiores do mundo. Durham possui departamentos renomados nas áreas de Exatas, Artes e Humanidades. Também oferecemos oportunidade para o próprio desenvolvimento pessoal com atividades musicais, teatro, voluntariado, irmandades e grupos de amigos que serão levados para o resto da vida. A instituição permite que os jovens tenham capacidade de liderança, trabalho em equipe, comunicação e respeito com todos ao redor. Os nossos alunos vêm de mais de 150 países diferentes e todos eles trazem sua experiência de vida para cá criando, assim, um ambiente muito rico para aprendizagem e confraternização.