02/02/2010 / Em: Clipping

 


Listão da Unicamp será divulgado na quinta-feira, às 12h  (Terra – Vestibular – 01/02/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgará a primeira lista de aprovados no vestibular 2010 na quinta-feira, 4 de fevereiro, às 12 horas. Os candidatos convocados deverão efetuar a matrícula no dia 9 de fevereiro nos respectivos campi, como consta no Manual do Candidato. Já as notas dos candidatos na segunda fase serão divulgadas dia 8 de fevereiro. A comissão prevê 11 chamadas no total. A segunda chamada será divulgada no dia 9 de fevereiro, para matrícula dos convocados no dia 12 de fevereiro.



Fuvest antecipa divulgação do resultado (Jornal da Tarde – Cidade – 02/02/10)

A Fuvest decidiu antecipar a divulgação da lista de aprovados no vestibular 2010 para amanhã, dia 3. O calendário previa a divulgação só na quinta-feira. A decisão foi tomada depois que a correção e demais processos burocráticos previstos no planejamento deste ano foram finalizados com antecipação. “Não há motivo para prolongar a expectativa dos estudantes”, afirmou o coordenador de comunicação do vestibular, José Coelho Sobrinho. Neste ano, a Fuvest praticamente dobrou o número de corretores de prova contratados. Cerca de 400 profissionais trabalharam, inclusive em períodos noturnos, para dar conta de finalizar uma pilha de mais de 800 mil folhas de provas a serem corrigidas. A antecipação da lista não altera o restante do calendário. A matrícula continua agendada para os dias 8 e 9 de fevereiro. Os documentos necessários serão certificado de conclusão de curso do ensino médio ou equivalente, documento de identidade e uma foto 3×4. Nos casos dos documentos, deve-se levar uma cópia, além do original. No dia 15, a Fuvest solta a segunda chamada de aprovados e os convocados devem se matricular no dia 19 de fevereiro. Já o vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) manterá seu calendário inicial. Os aprovados serão conhecidos na quinta.



Falhas no Enem (Folha de S.Paulo – Opinião – 01/02/10)

A RECONFIGURAÇÃO da prova do Exame Nacional do Ensino Médio, até 2008 um já eficiente instrumento de avaliação de alunos e escolas, prometia trazer maior racionalidade ao processo seletivo das universidades públicas no país. O modelo atualmente preponderante, que obriga estudantes a uma maratona de vestibulares na busca de uma vaga no ensino superior, seria gradualmente substituído por um exame único, seguido de um sistema de seleção que aloca candidatos em todo o universo de vagas das instituições participantes.
Neste primeiro ano de funcionamento do novo Enem e de seu complemento, o Sisu (Sistema de Seleção Unificada), foram quase 48 mil vagas distribuídas por 51 faculdades e universidades de todo o país. Tal volume já representa um avanço na distribuição do estoque de vagas do ensino superior, ao aumentar a possibilidade de acesso de muitos estudantes à universidade. Erros reiterados em todas as etapas do novo processo, implementado às pressas pelo governo em 2009, no entanto, ameaçam sua credibilidade. A mais recente atingiu o processo de seleção, iniciado na última sexta. O modelo exige consulta constante à página do Sisu na internet, pois estudantes preteridos em cursos concorridos podem mudar de opção e buscar outras vagas. Mas, desde as primeiras horas de seu funcionamento até sábado à tarde, o acesso apresentou problemas -operava normalmente na noite de ontem.
Repete-se agora, na etapa conclusiva, importantes falhas de gerenciamento e execução. O próprio Enem teve que ser remarcado, depois que a prova vazou ainda no momento de impressão. O exame também apresentou, em 2009, a maior abstenção em 11 anos e erros no gabarito inicialmente divulgado. São falhas que não prejudicam apenas o processo seletivo em curso, já que o novo modelo depende da livre adesão das instituições para ampliar o seu alcance e a sua eficiência. A sequência de problemas ameaça a credibilidade do projeto, elemento central para sua consolidação nos próximos anos.