03/03/2009 / Em: Clipping

 


Unicamp divulga nesta terça-feira a 4ª chamada do vestibular 2009  (Globo.Com – G1 Vestibular – 03/03/09)

Matrícula deverá ser realizada na sexta-feira (6).
Confira as datas das próximas chamadas

A Unicamp irá divulgar nesta terça-feira (3) a quarta chamada dos aprovados no vestibular 2009. A previsão da instituição é liberar o resultado até o meio-dia no site www.comvest.unicamp.br. Os candidatos convocados deverão realizar a matrícula na sexta-feira (6), das 9h às 12h. A quinta chamada será divulgada na própria sexta-feira. Todos os alunos aprovados na Unicamp, incluindo os que passaram em cursos em Limeira e Piracicaba, deverão se matricular em Campinas. Os ingressantes nos cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) deverão fazer a matrícula em São José do Rio Preto.

Confira o calendário da Unicamp

3/3 

Divulgação da 4ª chamada 

6/3 

Matrícula da 4ª chamada (das 9h às 12h)
Divulgação da 5ª chamada (até as 24h) 

10/3 

Matrícula da 5ª chamada (das 9h às 12h)
Divulgação da 6ª chamada (até as 24h) 

13/3 

Matrícula da 6ª chamada (das 9h às 12h)
Divulgação da 7ª chamada (até as 24h) 

17/3 

Matrícula da 7ª chamada (das 9h às 12h)
Divulgação da 8ª chamada (até as 24h) 

20/3 

Matrícula da 8ª chamada (das 9h às 12h) 

24/3 

Divulgação da 9ª chamada e da lista de espera (até as 24h) 

26/3 

Matrícula da 9ª chamada e confirmação presencial de interesse para candidatos da lista de espera (das 9h às 12h)
Divulgação da 10ª chamada (16h)
Matrícula da 10ª chamada (das 16h às 17h)
Divulgação da última chamada (18h)
Matrícula da última chamada (das 18h às 18h30) 



Unicamp e Fuvest soltarão novas listas dias 3 e 4  (EPTV – Virando Bixo – 03/03/09)

Quarta chamada da Unicamp sai nesta terça; terceira da Fuvest, nesta quarta

A Fuvest, que seleciona alunos para a USP (Universidade de São Paulo) e para a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgam nos próximos as próximas chamadas de seus vestibulares 2009. A Unicamp vai liberar sua quarta chamada nesta terça (3) e a Fuvest soltará a sua terceira lista nesta quarta (4). Continuam concorrendo a uma vaga na Unicamp os candidatos que fizeram a segunda fase, não foram eliminados por nota zero e declararam interesse nas vagas restantes. Além da quarta chamada, a Unicamp vai divulgar outras sete, todas em março, nos dias 6, 10, 13, 17, 24 (juntamente com uma lista de espera) e 26 (neste dia serão duas, às 16h e às 18h). A Fuvest vai processar a terceira e a quarta chamadas exclusivamente com os candidatos que manifestaram interesse pelas vagas restantes nos dias 19 e 20 de fevereiro. Os convocados em terceira chamada farão matrícula no dia 6 de março. Também em março, no dia 11, será divulgada a quarta e última chamada, com matrícula marcada para o dia 13.



Educação – Unicamp incentiva o trote cidadão  (Correio Popular – Cidades – 03/03/09)

No primeiro dia de aula, estudantes são convidados a participar de ações de preservação ambiental

Na tentativa de evitar qualquer ação que levasse ao trote violento, como aconteceu nos últimos dias em algumas instituições de Ensino Superior, e desmobilizar atitudes humilhantes aos calouros, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), através do Serviço de Apoio ao Estudante (SAE), se antecipou e distribuiu, no dia matrícula e na confirmação dela, folhetos informativos sobre o Trote da Cidadania, com atividades alternativas para melhor recepcionar os novos universitários. O folheto, que também foi entregue ontem de manhã – início das aulas -, pedia a participação dos estudantes nas atividades que têm como objetivo principal promover a cidadania e preservação do meio ambiente. Desde 2003, o Trote da Cidadania já faz parte do calendário acadêmico dos ingressantes e, de lá para cá, só vem ganhando mais adeptos. No começo, as atividades contavam com a participação de apenas três cursos da universidade e, hoje, 37 dos 39 cursos oferecidos aderiram às ações solidárias. A abertura oficial foi ontem à tarde no Centro de Convenções da universidade, mas as atividades só começam hoje. “O tema central deste ano será o lixo eletrônico, mas teremos inúmeras atividades envolvendo veteranos, calouros e comunidade externa” , explicou a coordenadora da comissão organizadora do Trote da Cidadania da Unicamp e estudante do curso de engenharia química, Aline Cristina Antoniazi Ordine. “Vale lembrar que essa é uma iniciativa de estudantes para estudantes” , disse a universitária durante a apresentação das atividades. A coordenadora disse que outro objetivo do Trote da Cidadania é promover a interação entre os alunos. “As atividades são todas promovidas entre veteranos e calouros de todos os cursos. Procuramos mesclar os alunos para promover maior interação entre eles.”
Para o calouro de ciências sociais Rodrigo Faria, iniciativas como essa são essenciais para firmar a visão da universidade sobre os trotes violentos. “Recentemente, vimos muitos trotes violentos e pesados em muitas instituições e acabamos ficando preocupados. Eu prefiro muito mais atividades alternativas como as propostas pela universidade do que as promovidas no trote tradicional” , disse Faria. O calouro de engenharia da computação Tiago Martinho de Barros até chegou a ser pego pelos veteranos no dia da matrícula, mas não se importou. “Hoje (ontem) ninguém fez nada, mas no dia da matrícula cortaram meu cabelo e pintaram meu rosto. Não fiz nada forçado e achei uma brincadeira saudável” , afirmou o jovem, que também pretende participar do Trote da Cidadania. “Acho muito legal.” Entretanto, apesar da universidade tentar fechar o cerco contra os trotes dentro da instituição, calouros de alguns cursos se depararam com uma recepção bem colorida, regada a tinta guache, farinha e até ovos, na manhã de ontem. A coordenadora do SAE, Maria Teresa Moreira Rodrigues, informou que não chegou a reforçar a segurança dentro do Campus, mas assegurou que conta com câmeras na maioria dos institutos e funcionários da comissão no monitoramento de atitudes suspeitas. “O campus é muito grande e não conseguimos monitorar tudo, mas, desde o dia da matrícula, estamos fazendo um trabalho intenso de conscientização com os veteranos e calouros para evitar trotes violentos. Além disso, contamos com um telefone disponível para os calouros denunciarem” , explicou Maria Teresa.  Segundo ela, o problema é que, muitas vezes, o aluno não se sente confortável em denunciar ou até aceita participar das atividades porque gosta.

Cara pintada

E parece que foi isso mesmo que aconteceu no primeiro dia de aula. Cientes de que teriam algum tipo de recepção de boas-vindas, os novos universitários não se queixaram de receber tinta na roupa e no cabelo, ter o rosto pintado e até de dançar para os veteranos. Pelo contrário, os “bixos” , como são popularmente conhecidos, entraram na brincadeira e aprovaram a recepção calorosa. Até bateria organizada tinha para animar os jovens estudantes. “Achei que fosse bem pior” , comentou um dos aprovados no curso de engenharia mecânica, que preferiu não se identificar. Ele estava amarrado com um barbante no braço junto com os colegas de classe fazendo tudo que os veteranos mandassem. “Até agora, está tudo tranquilo” , disseram outros dois jovens do mesmo curso. Fernanda Ribeiro, que conquistou uma vaga no curso de estatística, também não conseguiu escapar da tinta, mas estava apreensiva com o que poderia vir a seguir. “Por enquanto, está tranquilo, né?” , afirmou a jovem, que mora em Americana. As máquinas de cortar cabelo passaram longe do trote aplicado ontem pelos veteranos da Unicamp, mas quem disse que elas não estiveram presentes nos dias anteriores? A aparência do estudante Lucas Barros, o “Ximpa” , dizia tudo. Seu cabelo se transformou numa verdadeira logomarca da república onde mora: Pai da Bartira. “Não me incomodei não, valeu a pena” , disse Ximpa, que ficou durante toda manhã segurando um cartaz de cartolina que anunciava a chopada do curso. Acompanhada da mãe, Ariane Baggio tentava ao máximo se esconder de tinta. É que, no dia da matrícula, a jovem teve problemas com o produto que passaram em seu rosto e corpo, e ficou com alergia. “Estou tomando remédio porque tive alergia da tinta. Agora, estou com medo de piorar de novo” , confessou Ariane, que se deixou pintar um pouco, mas não foi forçada a participar das brincadeiras e foi respeitada pelas veteranas do curso de estatística que estavam com um arsenal de tinta guache para pintar os calouros. “A recepção está bem calorosa” , afirmou a jovem, sorrindo.

Projeto de lei proíbe violência na recepção

Aprovado pelo plenário da Câmara dos Deputados no último dia 18 de janeiro, o projeto de lei que proíbe o trote violento nas universidades só falta receber o “sim” do Senado para passar a vigorar. De acordo com o texto, ficam proibidas condutas que ofendam a integridade física, moral e psicológica dos novos alunos, que causem constrangimento aos calouros, que exponham, de forma vexatória, os novos estudantes ou que implique pedido de doação de bens ou dinheiro. Aqueles que infringirem as normas ficam sujeitos a uma multa que varia de R$ 1 mil a R$ 20 mil, e vão responder processos internos que podem levar à suspensão da universidade ou até mesmo impedir a matrícula em faculdades pelo período de um ano – além do envio do processo ao Ministério Público (MP). O projeto ainda normatiza como devem ser os trotes, que não vão poder durar mais de 20 horas, precisam ser feitos no primeiro mês letivo e vão ser coordenados por um grupo de alunos e professores, visando maior integração do aluno com a universidade e suas instalações.

PROGRAMAÇÃO

Atividades do trote solidário

HOJE – Minimização de Resíduos (Coleta Seletiva) – Cooperativas de Reciclagem

Os calouros recebem capacitação sobre coleta seletiva, visitam cooperativas de material reciclável e fazem conscientização de porta em porta na região de Barão Geraldo, explicando e incentivando a comunidade a fazer coleta seletiva. Será entregue aos moradores material explicativo sobre os dias de coleta, reciclagem e consumo consciente.

AMANHÃ – Novas Gerações (Crianças)

Os calouros recebem capacitação sobre consumo consciente e vão às instituições infantis da região passar o conhecimento para as crianças. A interação se dará por meio de jogos cooperativos, oficinas de brinquedos e teatros educativos. Neste ano, oito instituições serão visitadas pelos alunos.

QUINTA-FEIRA – Dia Interno do Campus/Lixo Eletrônico

A programação ainda está em fase de elaboração por parte da Comissão Organizadora do Trote da Cidadania. Mas as atividades serão voltadas para a comunidade do campus (alunos, professores e funcionários).

SEXTA-FEIRA – Aproveitamento Total de Alimentos

Os calouros recebem uma capacitação sobre aproveitamento de alimentos e, em seguida, visitam a Centrais de Abastecimento S.A. (Ceasa) de Campinas. Só então farão a conscientização de porta em porta na comunidade sobre o desperdício de alimentos.

SAIBA MAIS

Não se admite na universidade o trote abusivo, nem mesmo comportamentos envolvendo agressões, humilhações, discriminação de qualquer espécie e violência. Qualquer denúncia de abuso pode ser feita diretamente às Coordenadorias de Graduação, à Comissão do Trote Cidadão, ao Serviço de Apoio ao Estudante ou à Pró-Reitoria de Graduação. As deliberações da universidade preveem sanções acadêmicas para o abuso comprovado. Os telefones para queixas são (19) 3521-4738 ou 3521-4877 (da pró-reitoria) e 3521-7011 (SAE).



Segunda fase da Fuvest pode cobrar todas as disciplinas  (Folha Online – Educação – 03/03/09)

A USP (Universidade de São Paulo) analisa um projeto que reformula a prova da Fuvest -o maior vestibular do país-, transformando-a, em alguns aspectos, no que ela era até meados dos anos 1990. A discussão está a cargo de um grupo criado pela Pró-Reitoria de Graduação. Entre as mudanças em análise está a utilização da nota da primeira fase, que hoje conta no resultado final do vestibular. A ideia é que a primeira etapa seja eliminatória -funcionaria como um filtro e sua nota não seria contabilizada. Outro ponto proposto é que a segunda fase, que é dissertativa, seja realizada com todas as disciplinas do ensino médio -e não só com um exame de português, uma redação e matérias ligadas à carreira escolhida pelo candidato, como foi feito até o último vestibular. A segunda fase, de acordo com a proposta, terá três dias: no primeiro, exame de português e redação; no segundo, prova com 18 questões de todas as matérias, incluindo exercícios interdisciplinares; e, no terceiro dia, seriam cobradas duas disciplinas ligadas à carreira escolhida. A proposta também sugere que o candidato possa ter, como segunda opção, uma carreira diferente da área escolhida na inscrição.

“Em estudo”

A Pró-Reitoria de Graduação só se manifestou por nota. Afirmou que “as propostas ainda estão em estudo” e deverão ser decididas pelo Conselho de Graduação -que é formado por presidentes de comissões de graduação- em abril ou maio. A Fuvest, que organiza o vestibular da USP, participou de discussões, mas apenas como órgão consultor, segundo Roberto Costa, coordenador do órgão. “Participaremos depois, na execução”, disse. “Isso que está em discussão não é nenhuma transformação radical, é um retorno ao que já era”, disse Carlos Eduardo Bindi, coordenador do cursinho Etapa, referindo-se à época em que a fase inicial não contava pontos e a segunda etapa tinha todas as disciplinas. Esses pontos foram reformulados em meados de 1990 porque “o formato anterior [que tinha todas as disciplinas na segunda fase] era injusto”, segundo o que Alceu Gonçalves Pinho Filho, diretor da Fuvest na época, afirmou em 1994. Segundo Bindi, o processo mudou, entre outros motivos, por questões econômicas. “Como a primeira fase já era geral, era mais barato fazer a segunda com menos disciplinas”, afirmou. “Aí, como a Fuvest é uma prova geral, tinha de contabilizar a primeira fase.” Nicolau Marmo, coordenador-geral do Anglo, não aprovou as propostas em discussão. “A Fuvest é o melhor vestibular do país, e em time que está ganhando não se mexe”, afirmou.



Unicamp inaugura câmpus 2 em Limeira  (Gazeta de Limeira – Notícia – 03/03/09)                                        

A Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), câmpus 2 da Unicamp, foi inaugurada ontem em Limeira. Os 480 alunos aprovados no vestibular iniciarão as aulas em oito cursos inéditos na universidade. A área de 50 hectares, onde foram instalados os primeiros prédios, ainda passará por novas reformas para abrigar mais quatro cursos e atender aos mais de seis mil alunos em quatro anos. Os calouros ou “bixos”, como são popularmente conhecidos, iniciaram ontem uma nova etapa de suas vidas no ambiente universitário. Eles fazem parte da primeira geração de profissionais que se formarão no câmpus de Limeira. Os 480 estudantes terão formação superior nas áreas de Gestão de Políticas Públicas, Gestão de Agronegócio, Gestão de Comércio Internacional, Gestão de Empresas, Ciências do Esporte, Nutrição, Engenharia de Produção e Engenharia de Manufatura, sendo os quatro últimos em período integral e os quatro primeiros, cursos noturnos. As estudantes de Piracicaba, Luiza Vaz Rimoli, de 17 anos, e Camila do Amaral, 18, serão nutricionistas daqui a quatro anos e estão cheias de expectativas com relação à universidade. “Escolhemos esse curso devido às disciplinas oferecidas pela Unicamp. Estamos na melhor universidade do Brasil”, declararam. As duas colegas se conheceram em Limeira, apesar de residirem na mesma cidade. “Por enquanto vamos viajar de van todos os dias, mas nos próximos anos, temos intenção de morar juntas em Limeira”. Assim como Luiza e Camila, outros estudantes de cidades próximas a Limeira vão viajar todos os dias até a FCA. Aqueles que vieram de estados distantes ou até mesmo da região Sul e Nordeste, estão instalados nas proximidades do câmpus em repúblicas e pensões. “Temos alunos desde o Rio Grande do Sul até o Rio Grande do Norte”, ilustrou o diretor associado da FCA, Marco Tognon. De acordo com o diretor do câmpus, Mauro Tereso, nas três primeiras chamadas, 450 alunos confirmaram matrícula. “Sobraram apenas 30 vagas para serem preenchidas nas próximas chamadas. A procura foi maior do que no câmpus de Campinas, onde 20% das vagas ainda estão abertas”, falou.  No dia da matrícula, os alunos conheceram os colegas de classe e os professores. “Fizemos uma integração no dia da matrícula. Os pais e alunos conheceram a direção do câmpus e os docentes”, lembrou Tognon. A maioria dos alunos se conheceu na matrícula, até mesmo aqueles que moram na mesma cidade, e durante o trote, que aconteceu ontem. “Hoje conhecemos o Centro de Limeira, onde fizemos pedágio nos semáforos para arrecadar dinheiro”, contaram as estudantes, que estavam com os braços e pernas pintadas com tinta guache. O trote aconteceu no Centro Superior de Educação Tecnológica (Ceset). “A Unicamp realiza o Trote da Cidadania, por isso não há casos de violência contra os calouros”, destacou Tognon.

INVESTIMENTOS

Daqui a alguns anos, quando os 480 alunos estiverem com os seus diplomas, nem eles mesmos reconhecerão o câmpus de Limeira. A Unicamp tem hoje R$ 1 milhão para serem gastos em projetos de melhoria da FCA. Até o momento foram gastos R$ 45 milhões para a construção do câmpus e segundo Tereso, ainda sobram R$ 60 milhões para investimentos futuros, como novos prédios, biblioteca, laboratórios, refeitório, entre outros. Tognon adiantou que R$ 35 milhões serão gastos nos próximos três anos para construção de uma biblioteca, um prédio administrativo, centro de convenções, área esportiva e ainda neste ano, refeitório, dois laboratórios, arruamento interno do câmpus, ciclovia e mais blocos de sala de aula. “O câmpus pode chegar a ter 10 prédios. Hoje a área construída é de 10 mil m², mas queremos chegar a 60 mil m²”. As ampliações serão feitas para atender mil alunos em 2010 com a previsão de abertura de quatro novos cursos: licenciatura em ciências, fisioterapia, produção cultural e conservação e restauração de obras de artes. “Nosso objetivo é ter 12 cursos no próximo vestibular e atender aos mais de seis mil alunos em quatro anos”, concluiu Tognon.

CÂMPUS VERDE

O número de professores e funcionários também vai dobrar neste ano. Segundo ele, a FCA terá 150 docentes e 80 funcionários em quatro anos. Outra intenção da universidade é construir um câmpus verde em Limeira. “O câmpus terá área de preservação e será uma cidade universitária verde, aberta à comunidade”, adiantou. Tereso ressaltou que uma das medidas mais importantes a ser tomada o mais breve será a constituição do Plano Diretor da FCA. “Ele norteará todas as obras e ampliações que devem ser feitas a partir deste ano”, finalizou. Durante esta semana, os alunos conhecerão o câmpus e participarão de atividades de integração. As aulas começam a partir de segunda-feira, dia 9.

Reitor ministra Aula Magna

A inauguração da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) contou com a presença de autoridades de Limeira, dos poderes Executivo e Legislativo, a direção do câmpus 2 e o reitor da Unicamp, José Tadeu Jorge, além de outros representantes da comunidade acadêmica e autoridades regionais.
O reitor, que deixa o cargo em abril, enfatizou a importância da Unicamp no cumprimento de seu papel social. “A Unicamp valoriza o ensino superior público de qualidade e este câmpus possui o potencial dessa universidade de 42 anos”, declarou. De acordo com ele, a construção do câmpus 2 faz parte do projeto de expansão da universidade em parceria com o Estado de São Paulo e a Prefeitura de Limeira. “Estamos instalando em Limeira, cursos de graduação de excelente qualidade, seguindo o tripé – ensino, pesquisa e extensão -, que norteia a Unicamp”, falou. Tadeu Jorge revelou que a FCA contará com a parceria da Agência de Inovação da Unicamp e lembrou que a universidade proporcionará muitas oportunidades aos estudantes e à população limeirense. Após o hasteamento das bandeiras, a placa inaugural foi descerrada e em seguida, o reitor ministrou a Aula Magna, primeira aula do câmpus de Limeira. Tadeu Jorge, que é o primeiro ex-aluno da Unicamp que se tornou reitor, recebeu os ingressantes com bom humor e contou a eles a história da universidade que agora faz parte de suas vidas e da cidade de Limeira.

Universidade estuda implantar 3.º câmpus

O anúncio do prefeito Silvio Félix (PDT) de desapropriação de um terreno de cerca de 750 mil m² localizado às margens da SP-151 (Limeira-Iracemápolis), perto da Rodovia dos Bandeirantes, para a construção do terceiro câmpus da Unicamp foi recebido com otimismo pela direção da universidade. Segundo o diretor associado da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), Marco Tognon, a proposta do prefeito deve ser estudada para que na área seja construído um Polo Tecnológico. “Esse é um projeto que terá início a longo prazo”.  De acordo com Félix, essa área será destinada para a instalação de cursos superiores na área tecnológica e incubadoras de empresas. “A idéia é incentivar empresas de alta tecnologia a investir em Limeira, uma vez que a cidade oferecerá um Polo Tecnológico da Unicamp”, destacou. Com relação ao câmpus 2, Félix ressaltou que as obras de melhoria de trânsito, nas proximidades da FCA, continuarão e serão disponibilizadas mais linhas de ônibus para os universitários.