04/10/2017 / Em: Clipping

 

Na reta final para o Enem, foco deve ser em simulados e na leitura de notícias (Agência Brasil – Educação – 04/10/2017)

Faltando apenas um mês para a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os estudantes que vão participar da seleção devem aproveitar os últimos dias para revisar o conteúdo e fazer provas anteriores e simulados, sem esquecer de ficar ligado nos noticiários para saber o que está acontecendo no país e no mundo. Além de solidificar os conceitos, a resolução de simulados e de provas anteriores deve ser a principal estratégia de estudo nesses últimos dias, aconselha o professor de matemática Bruno Vianna, do Colégio Mopi, do Rio de Janeiro. Segundo ele, essa prática faz com que o aluno se acostume com o tempo que terá para analisar e responder a todas as questões no dia do Enem. “No Enem, o aluno tem que estar preparado para fazer uma prova nos moldes em que ele não está acostumado, pois é muito diferente das avaliações internas que as escolas costumam fazer. Os alunos não têm o costume de resolver 45 questões em um espaço grande de tempo”. Na área de matemática, Vianna diz que os assuntos que vêm aparecendo com mais frequência no Enem são os do ensino fundamental, como geometria plana e proporcionalidade. “Seria bom focar nesses assuntos principalmente”. O coordenador de biologia do Colégio Sigma, de Brasília, Alessandro Reis, diz que é importante a leitura de temas da atualidade, que são abordados com frequência no Enem. Ele chama a atenção para assuntos ligados à ecologia, como o aquecimento global e os acordos internacionais sobre o clima, que envolvem também as relações internacionais. Outros assuntos da atualidade que podem ser abordados na prova, segundo o professor, são as ocorrências ligadas ao mosquito Aedes aegypti. Reis também recomenda ao candidato a realização de provas anteriores, para aprender a gerenciar o tempo e identificar dificuldades. “Quando ele pega as provas anteriores para fazer, parte de exames reais e, com isso, ele consegue quantificar o tempo e ver onde encontrou mais dificuldades”. Para a redação, a sugestão dos professores é analisar provas passadas e trabalhar a compreensão dos temas que já foram propostos. A coordenadora de redação do Colégio Sigma, Carolina Darolt, sugere que os alunos analisem as cinco últimas provas, montando uma estrutura de argumentação, ou seja, analisando qual seria a tese apresentada diante do tema e quais seriam os argumentos. Ela também destaca a importância de o aluno estar atualizado com os noticiários. Outra dica para os últimos dias é fazer o percurso de casa até o local de prova, para garantir que o candidato saberá chegar ao endereço no dia do Enem, além de ter uma noção do tempo gasto até lá. O cartão de confirmação do Enem estará disponível na página eletrônica do exame a partir do dia 20 de outubro. O cartão informa o local onde cada estudante fará as provas, além do número de inscrição e dos horários. Neste ano, o Enem será realizado em dois domingos, nos dias 5 e 12 de novembro. A abertura dos portões será às 12h e o fechamento às 13h. O início dos testes será às 13h30, sempre tendo como referência o horário de Brasília. No primeiro domingo, os estudantes farão testes de ciências humanas, linguagens e redação e terão cinco horas e meia para fazer o exame. No segundo domingo, as provas serão de matemática e ciências da natureza, com prazo de quatro horas e meia.

Estratégia

Para fazer uma prova tranquila, é importante que o estudante tenha uma estratégia para resolver as questões. A dica do professor Bruno Vianna é deixar para o final as perguntas que ele não sabe resolver e priorizar os assuntos que domina. “Quando esbarrar em uma questão que não domina e não sabe como resolver, ele deve automaticamente pular. Com isso, sobra mais tempo para voltar a essas questões e fazer com mais calma, evitando o nervosismo, porque o que é dele ele já garantiu, e o que vier depois é lucro”, diz. Segundo o professor, o nervosismo durante a prova geralmente é causado por estratégias equivocadas que o aluno costuma adotar. O resultado das provas do Enem poderá ser usado pelos estudantes em processos seletivos para vagas no ensino público superior, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

 


Começando na universidade? Veja alguns importantes conselhos para os calouros (Universia – Notícias – 04/10/2017)

Sabemos que não é fácil começar os estudos no ensino superior. Dúvidas, dificuldades e adaptações são comuns. Confira alguns conselhos e comece com o pé direito

 O início das aulas na universidade pode ser um desafio bem grande. Com novas rotinas, várias disciplinas simultâneas e atividades de integração no campus, é comum que o calouro se sinta intimidado e sobrecarregado. Planejamento e programação são essenciais para começar da melhor maneira, além de algumas outras atitudes e considerações que podem ajudar bastante. Fique calmo e tome nota dos seguintes conselhos para os calouros. Boas aulas e boa sorte!

Conheça o espaço

É muito importante que você conheça as dependências da instituição na qual está ingressando. É um câmpus extenso? Fica afastado da cidade? Ou é um prédio, localizado em ambiente mais urbano? Universidades costumam ser divididas em departamentos, institutos, com blocos de salas respectivos. Que tal sair para caminhar na faculdade, alguns dias antes do início das aulas? No caminho, você tomará contato com as áreas relevantes para o seu curso e pode até conhecer outros lugares bastante interessantes.

Não perca os prazos

Analise com cuidado o calendário letivo. Saiba bem os prazos para não perder as etapas da matrícula, por exemplo, e esteja preparado para os períodos de avaliação. Além disso, não deixe de conferir minuciosamente a grade curricular do seu curso. Caso pinte alguma dúvida, não deixe de entrar em contato com a secretaria para saná-la.

Organize sempre

Ter um bom desempenho nas disciplinas está atrelado a uma boa programação de estudos. A organização do seu tempo é indispensável, aproveitando qualquer recurso que a instituição te ofereça (desde um ambiente virtual até sessões de monitoria presencial e grupos de estudo).

Controle os gastos

Tome cuidado com as listas sugeridas de materiais. Prefira alternativas econômicas e viáveis, evitando investimentos exagerados e precipitados com livros e acessórios. Adquira o essencial para o desenvolvimento das aulas. Considere também os custos com transporte, taxas de mensalidade e gastos com alimentação.

Desenvolva relações

Não deixe de viver o período universitário de maneira agradável e saudável. Aproveite as oportunidades de integração, atividades de recepção de calouros, reuniões de grupos de estudantes. Faça contatos e amizades. Os outros alunos te ajudarão quando você precisar e te darão memórias que vão durar pra sempre.

Ouça os veteranos, estudantes com mais experiência na sua instituição que poderão te oferecer uma perspectiva diferenciada, assim como outros aconselhamentos.

Um bom início

Os próximos anos da sua formação serão únicos e devem ser vividos da melhor forma possível. Leve os nossos conselhos para os calouros em consideração, desenvolva suas próprias medidas e aplique as noções no seu cotidiano. Que seja um período de crescimento e expansão!

 


‘Enem 2017 será o mais seguro da história’, diz ministro da Educação (Correio Braziliense – Brasil – 03/10/2017)

O governo anunciou na semana passada mudanças na segurança para evitar fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio

O ministro da Educação, José Mendonça Filho, disse nesta terça-feira (3/10), que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano será o “mais seguro da história”. A prova está marcada para os dias 5 e 12 de novembro. “Nenhum programa é imune a tentativas de fraudes, ainda mais com quase 6,5 milhões de inscritos. É impossível ter uma blindagem absoluta. A ação do MEC vai na direção de um combate cada vez mais rigoroso e o Enem 2017 será o mais seguro da história “, disse o ministro, durante evento do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) em São Paulo. Para a edição deste ano, o MEC informou que irá utilizar aparelhos que detectam a utilização de pontos eletrônicos. O ministro não informou quantos equipamentos do tipo estarão disponíveis nos locais de prova. “Não será de forma ampla e não podemos revelar, até mesmo por orientação da Polícia Federal, o número de equipamentos. O importante é que os candidatos saibam que, se utilizarem o ponto eletrônico para fraudar a prova, serão pegos”. Depois de um impasse para o uso de detectores de metal, o ministro também informou que o MEC conseguiu chegar a uma solução, que será anunciada ainda nesta semana, para a utilização dos equipamentos. Segundo ele, serão mais de 29 mil equipamentos do tipo. Nos últimos anos, a segurança do Enem foi feita com 81,3 mil aparelhos fornecidos pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), órgão que era responsável por aplicar e corrigir as provas até a última edição. O contrato foi rescindido neste ano. O MEC alegava ser dono dos equipamentos, mas o Cebraspe alegou que o acervo lhe pertencia. O caso foi levado à Justiça, que entendeu que os equipamentos eram do Cebraspe. O ministro da Educação considerou que nenhum programa do tamanho do Enem está “imune” a fraudes, mas avaliou que o MEC tomou ações para assegurar o combate a práticas de fraude no exame e punir culpados. O governo anunciou na semana passada mudanças na segurança para evitar fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. O número de detectores de metal vai ser ampliado. Nos últimos dias, responsáveis pela prova disseram à imprensa já terem pelo menos 29 mil equipamentos de detecção de metais, número inferior aos 81 mil detectores de 2016. Mendonça Filho afirmou, no entanto, que o número de detectores vai superar esses 29 mil. “Temos uma solução que deverá ser anunciada essa semana”, garantiu o ministro.