08/02/2017 / Em: Clipping

 


Deixava o celular longe, diz aprovado em 8 vestibulares de medicina (UOL – Vestibular – 08/02/2017)

A ficha de Ângelo Thomaz Duarte Cavalcante, 20, não caiu. Apesar de ainda não acreditar, ele fará em breve sua matrícula no curso de medicina da USP (Universidade de São Paulo). Segundo ele, que estudou todo o ensino médio em escola pública, as principais estratégias adotadas foram duas: muito treino e deixar de lado o celular e as redes sociais.

A receita parece ter dado certo. Dos 13 vestibulares que prestou, foi aprovado em outras sete instituições (além da USP): nas públicas Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e UFG (Universidade Federal de Goiás), e nas particulares Anhembi Morumbi, PUC Campinas, PUC Sorocaba, Santa Casa e Unicid. E ele ainda aguarda confiante o resultado da seleção da Unicamp.

“Estou meio bobo ainda. Olha, eu via essas notícias na internet de pessoas que passavam em um monte de vestibular e eu achava que eram todas meio geniais. Agora, eu vejo que não é assim. Durante o ensino médio [cursado na Etec Presidente Vargas], eu era um estudante mediano. Nunca fui de estudar no ritmo necessário para entrar numa faculdade de medicina. Foi no cursinho que eu me dediquei mais”, contou.



Reforma no ensino médio gera dúvidas em professores e estudantes (G1 – Santarém e Região – 07/02/2017)

Medida reorganiza o ensino médio e incentiva a educação em tempo integral. Conteúdos como artes, física e sociologia deixam de ser obrigatórios.

A Medida Provisória (MP) que trata sobre a reforma do ensino médio deve entrar na pauta de votação nos próximos dias A reforma proposta pelo Governo Federal, se tornou tema de discussão em muitas escolas pelo país. Em Santarém, no oeste do Pará a mudança tem gerado dúvidas nos professores e alunos. De acordo com o texto algumas disciplinas não serão mais obrigatórias. A medida, reorganiza o ensino médio e e incentiva a educação em tempo integral.

Segundo a MP os conteúdos que deixam de ser obrigatórios nesta fase de ensino são: artes, educação física, filosofia, física  e sociologia. Entretanto, o conteúdo dessas disciplinas não será propriamente eliminado, mas o que será ensinado de cada uma delas dependerá do que estiver dentro do conteúdo obrigatório previsto na futura Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Jovem surdo tira nota mil na redação do Enem e é aprovado na UFRJ e na PUC (G1 – Educação – 07/02/2017)

Bernardo Manfredi cursará filosofia. Por causa de infecção hospitalar, ele também tem transtorno psicomotor nas mãos e nos braços.

Bernardo Lucas Piñon de Manfredi, de 19 anos, foi um dos 77 alunos que tiraram nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ele foi aprovado no curso de filosofia na UFRJ e na PUC-Rio – escolheu se matricular na universidade particular, porque conquistou uma bolsa filantrópica que cobre integralmente a mensalidade. O jovem resume sua história em uma frase: “Sou um vencedor”.

Bernardo foi vítima de uma contaminação em uma maternidade do Rio de Janeiro. De todos os bebês que sofreram a infecção bacteriana na ocasião, apenas ele sobreviveu. Seu quadro melhorou após ser transferido para outro hospital, receber doações de sangue da irmã e frequentar um centro de reabilitação. Como sequelas, ele tem surdez severa bilateral (nos dois ouvidos), disgrafia profunda (dificuldade na escrita) e transtorno psicomotor nos braços e nas mãos.

Seu objetivo de tirar a nota máxima na redação era, portanto, um desafio. A escrita traz dores nas mãos do jovem – mesmo assim, ele conta que redigiu 130 textos em 2016, para melhorar seu desempenho nas dissertações.
“Eu não me cansava, sempre procurava fazer mais e mais redações, porque era a minha meta tirar nota mil. Assistia a todas as aulas, não deixava passar nenhuma dúvida e tinha fé de que eu chegaria lá”, conta.
No Enem, Bernardo teve uma hora a mais que os outros candidatos para fazer a prova, tanto no sábado quanto no domingo. Ele escreveu o rascunho da redação, mas levou duas horas e meia para isso. Quando faltava uma hora e meia, ditou o que havia redigido para que o transcritor passasse o texto a limpo.

Aluno corta redes sociais e passa em nove universidades de medicina (G1 – Mogi das Cruzes e Suzano – 07/08/2017)

Ângelo Cavalcante, de Suzano, gabaritou em química e biologia na Fuvest. Aluno vai estudar na USP, mas passou em instituições públicas e particulares.

Ângelo Thomaz Duarte Cavalcante, de 20 anos, ficou ‘desaparecido’ do ambiente digital no último ano. Desativou suas contas nas redes sociais e restringiu as saídas de fim de semana com os amigos. Cortou até o celular. Tudo isso por um objetivo: ser aprovado em medicina na Universidade de São Paulo (USP). E o esforço valeu a pena.  Além da USP, Angelo foi aprovado em outras oito universidades de medicina, sendo quatro públicas e gabaritou nas disciplinas de biologia e química na Fuvest. O morador de Suzano é o primeiro da família a estudar em uma universidade pública e a cursar medicina.

O segredo, segundo ele, foi tomar uma atitude dolorida, mas bem simples: sair das redes sociais e cortar o celular. “Eu resolvi ficar bem focado nos estudos. Não foi fácil, porque eu só estudava. Cortei celular, desativei minhas contas nas redes sociais e quase parei de sair de casa. A rotina era de 14 horas de estudo ou mais, mas valeu a pena”, contou.



Enem: saiba como retirar o certificado de conclusão do Ensino Médio (Secretaria da Educação SP – Notícias – 07/02/2017)

Candidatos do Exame que solicitaram a certificação por meio da Secretaria já podem retirar documento

Todos aqueles que prestaram o Exame Nacional do Ensino Medio (Enem) em 2016, optaram pela certificação por meio da Secretaria da Educação e foram aprovados, podem solicitar a retirada do documento. Para ser considerado aprovado é necessário ter atingido o mínimo de 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento do Enem e, no mínimo, 500 pontos na redação.



Compromisso é mais que dobrar a oferta de educação em tempo integral, afirma ministro (Portal Brasil – Educação – 07/02/2017)

O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que a meta do governo é “mais que dobrar a oferta de educação em tempo integral” no País. A declaração foi feita, nesta segunda (7), após o seminário sobre a implementação do programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Participaram do evento representantes do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), organizações do terceiro setor, organizações não governamentais e institutos envolvidos com o tema.

“Temos 380 mil alunos no ensino médio e a gente quer atingir entre 900 mil e 1 milhão de estudantes nesse período”, afirmou o ministro. O evento antecedeu uma reunião maior, prevista para acontecer ainda este mês, que será realizada com os secretários de educação de todo o País. A iniciativa visa buscar soluções, de forma que o ensino médio em tempo integral chegue com qualidade aos estudantes.