08/05/2009 / Em: Clipping

 


UnB decide adotar o Enem somente a partir de 2011(Globo.Com – G1 Vestibular – 08/05/09)

A Universidade de Brasília (UnB) não participará neste ano do vestibular unificado proposto Ministério da Educação para as instituições federais. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) só será usado no processo seletivo para ingresso no ano de 2011. Segundo informações da UnB Agência, o, a decisão foi tomada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão na tarde de quinta-feira (7).  O placar foi de 19 votos favoráveis ao adiamento da participação no projeto do Ministério da Educação e sete contra. Outros sete conselheiros se abstiveram. A forma de adesão ao projeto em 2010 não ficou definida. Os conselheiros optaram por deixar para depois a discussão sobre a maneira de como o Enem será integrado ao processo seletivo da UnB. Ainda não está estabelecido um calendário para as novas discussões. O Programa de Avaliação Seriada (PAS) e as cotas para negros serão mantidos. “Partiremos agora para uma discussão técnica sobre formas de participação. O importante é que a UnB integre o sistema nacional, que se configura em um esforço para melhorar as formas de acesso ao ensino superior”, afirma o reitor José Geraldo de Sousa Jr.



UFMS anuncia que vai substituir vestibular pelo novo Enem  (Terra – Vestibular – 07/05/09)

O Conselho Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) decidiu nesta quinta-feira que a instituição irá aderir ao processo seletivo unificado, proposto pelo Ministério da Educação (MEC), substituindo o vestibular atual por uma nova versão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na proposta, aprovada por unanimidade pelos conselheiros, a previsão é que o novo processo de seleção seja adotado integralmente somente para o ingresso a partir de 2011. Para o vestibular de verão 2010, realizado no fim deste ano, o Enem será utilizado em substituição da primeira fase e os candidatos ainda deverão realizar a prova de conhecimentos específicos. O pró-reitor de Ensino de Graduação, Leandro Sauer, afirmou que a decisão da UFMS por não aderir totalmente logo de início é uma forma de amenizar o processo de transição.