11/04/2016 / Em: Clipping

 


Calouro de 16 anos de medicina tira 9,3 na primeira prova na Unicamp   (UOL – Vestibular – 11/04/16)

Há pouco mais de um mês, o UOL contou a história de Vitor Costa, um adolescente de 16 anos, que sempre estudou em escola pública e que havia passado no vestibular da Unicamp para cursar medicina. Pois, o jovem já começou as aulas e já fez até prova. Na nota, mostrou que continua estudando bastante: tirou 9,3. Costa agora passa o dia inteiro na Unicamp. Ele continua morando na casa dos tios, a cerca de 6 km da universidade. O estudante levanta cedo, toma café, pega um ônibus – ou dois, dependendo de onde vai ser a aula – e chega na sala de aula pouco antes das 8h. De segunda à sexta, ele fica por lá até as 18h. Quer dizer, isso quando não faz atividades extas. Sua rotina tem sido assim desde o último dia 29 de fevereiro, quando as aulas tiveram início.

Enem seleciona mais de um quinto dos universitários no país   (UOL – Educação – 10/04/16)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) seleciona mais de um quinto dos universitários do país. Apesar de o vestibular tradicional ainda liderar os processos de seleção, de acordo com o último Censo da Educação Superior, de 2014, o exame foi usado nesse ano para selecionar 525.482 do total de 2.383.110 que ingressaram no ensino superior, nas graduações presenciais, o que equivale a 22% dos novos alunos. O vestibular, na liderança, selecionou 1.669.161 estudantes. As avaliações seriadas, 12.538. Embora seja computado nos microdados do censo, em 2014 foi a primeira vez que o dado foi divulgado na Sinopse, mais acessível.

As carreiras promissoras e os cursos em alta para os vestibulares 2017   (UOL – Notícias – 07/04/16)

Em 2016, o Brasil vive um momento econômico delicado, com alta no desemprego e retirada de investimentos em vários setores. As notícias ruins sobre a economia são frequentes nos noticiários e isso acaba chegando até os vestibulandos, que ficam preocupados quanto ao futuro da carreira que pretendem seguir. Um levantamento feito pela agência de empregos Catho mostra cinco profissões/áreas que estão em alta em 2016 e vão continuar nos próximos anos.



Falsos cotistas viram alvo de universitários negros pelo país   (Folha Online – Educação – 09/04/16)

A aluna de medicina Maria (nome fictício) começou a desconfiar de uma colega de curso que, apesar de ter entrado na universidade pelo sistema de cotas para pessoas de baixa renda, era “nitidamente bem de vida”. Maria, que é negra e cotista da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), e outros alunos passaram a investigar não só a tal colega, mas também a razão de a universidade ter “embranquecido”, apesar das cotas para negros. Levantaram dez casos suspeitos de pessoas que se beneficiaram do sistema de cotas declarando ser pretas, pardas ou de baixa renda para ingressar no curso.  Duas delas eram concursadas, com cargos em um banco e em uma prefeitura. No caso das cotas por cor, as evidências eram ainda mais visíveis.

Qualidade médica   (Folha de S.Paulo – Editorial – 11/04/16)

É correta a ideia por trás da decisão do governo de implementar a Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (Anasem). Trata-se de um exame que pretende aferir a qualidade técnica dos egressos de cursos de medicina. Alunos que iniciaram sua graduação a partir de 2015 terão de submeter-se à prova no segundo, no quarto e no sexto ano. Só conseguirá diploma o estudante que for aprovado no último teste. O desempenho individual, além disso, será considerado nos processos seletivos para a residência médica. Espera-se a primeira edição da prova para agosto. Hoje, basta o aluno concluir a graduação para estar legalmente habilitado a atender pacientes em todos os níveis de complexidade, diagnosticando, prescrevendo e até mesmo operando.