12/09/2016 / Em: Clipping

 

cid:image015.jpg@01D20D12.0F15E030
Unicamp. Upa reúne 40 mil jovens no campus (Metro – 12/09/2016)

O programa UPA (Universidade de Portas Abertas) da Unicamp recebeu mais de 40 mil alunos de várias partes do país anteontem. A 13ª edição do projeto – que visa apresentar a Unicamp aos estudantes – trouxe atividades e a oportunidade de sanar dúvidas sobre as profissões oferecidas.


cid:image009.jpg@01D20D12.0F15E030
Ideb sinaliza que reforma no ensino é inadiável (O Globo -10/09/2016)

Indicadores de 2015 mostram um panorama negativo: praticamente todos os estados deixaram de alcançar as metas do MEC. Crise é mais acentuada no ciclo médio

Mais do que revelar números sinalizando que o ensino básico no Brasil continua patinando num perfil que vai da estagnação ao recuo em relação às metas estipuladas pelo Ministério da Educação, a nova edição do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) surpreende — e preocupa — por denotar que o país não só não reagiu aos indícios, substanciais, de degradação apontados em pesquisas anteriores, como mergulhou num panorama, como reconheceu o ministro Mendonça Filho, “absolutamente negativo”, em especial no ensino médio. Chegou-se, portanto, ao ponto em que não há alternativa para o poder público: é preciso cortar o ciclo vicioso da leniência e das políticas equivocadas que vem alimentando a deterioração.


cid:image010.png@01D20D00.0EFB5880
Atual modelo do ensino médio mata criatividade do aluno e está fadado ao fracasso” (Jornal Opção – 10/09/2016)

Prestes a assumir um dos cargos mais importantes do Ministério da Educação, o goiano Wisley Pereira deixa a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás com um dos únicos resultados positivos do País registrados pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).  Em entrevista ao Jornal Opção neste sábado (10/9), Pereira comemorou os resultados obtidos à frente da Superintendência do Ensino Médio da Seduce, mas ressalta que mesmo os bons resultados ainda estão muito aquém daqueles que o Brasil precisa para consolidar uma educação pública de qualidade.

Goiás é um dos quatro estados da federação que conseguiu alcançar a meta para o ensino médio nas escolas estaduais em 2015. Para o superintendente, o bom resultado se deve ao trabalho sólido na área. “Levando em consideração a situação política e econômica e o esforço dispensado para alcançar o resultado, é de se comemorar. Mas, mesmo atingindo as metas, os resultados ainda são medíocres para a educação de qualidade que queremos. Em Goiás, conseguimos realizar um trabalho muito sólido, com um programa que não pensa de maneira isolada, abordando desde os anos iniciais, que também tiveram um bom desempenho.”


cid:image012.jpg@01D20D12.0F15E030
Educação física tenta não ser só bate-bola, mas ambição é excessiva (Folha de S.Paulo – 11/09/2016)

A proposta para o ensino de educação física presente na segunda versão da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), divulgada pelo Ministério da Educação, peca pelo excesso de ambição.

É louvável o esforço de evitar que a disciplina fique limitada a bate-bolas informais na quadra da escola, como costuma acontecer em muitos lugares, mas fica difícil evitar a impressão de que os responsáveis pelo currículo proposto tentaram abraçar o mundo.


cid:image004.png@01D20CFC.FD08F400
No ritmo atual, Brasil atingirá meta de ensino com décadas de atraso, estima estudo (Olhar Direto – 12/09/2016)

No ritmo atual, o Brasil pode levar décadas para atingir metas de educação estipuladas para daqui a seis anos, segundo levantamento do Instituto Ayrton Senna ao qual a BBC Brasil teve acesso.

O levantamento foi feito com base nos dados do Ideb 2015 (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgados na quinta-feira pelo Ministério da Educação (MEC).

O Ideb mostrou que o Brasil está avançando acima do previsto na etapa que vai da 1ª à 5ª série (etapa inicial do ensino fundamental) e, mantida a tendência atual, deve até mesmo superar a meta prevista pelo MEC para 2021.