13/07/2012 / Em: Clipping

 

Educação universitária tradicional: Tsunami à vista?   (O Estado de S.Paulo – Educação – 12/07/12)

O World Economic Forum se reuniu há poucas semanas em Nova Iorque (ler notícia, em inglês) para debater sobre o futuro da educação online nas universidades. Chegaram a conclusões relativamente conhecidas para quem está lendo sobre isso constantemente, mas um pouco catastróficas para que for pego de surpresa. Eles acreditam que há um “Tsunami” de mudanças vindo neste exato momento em direção à educação universitária tradicional e que esta será duramente afetada pelas tecnologias de informação e comunicação. Algo mais ou menos parecido com o efeito dessas tecnologias sobre toda a indústria da mídia ao longo dos últimos 10 anos (cinema, música, televisão, jornal, revista, etc), que cada vez mais tem seu poder de impacto social limitado e consequentemente suas fontes de receitas de publicidade e distribuição diminuídas. Eu não acredito nessas catástrofes repentinas, então acho que tudo vai migrar pouco a pouco para um novo patamar de padrões educativos ao longo dos próximos 10 a 15 anos. Obviamente, os países mais conectados e com sociedades menos burocratizadas e hierarquizadas chegarão a estes novos padrões mais rapidamente (principalmente América do Norte e norte da Europa, para “variar”). Para quem acompanha este blog, este post pode até parecer repetitivo, mas acho que valida o que vínhamos discutindo nas últimas semanas. Bem, vamos às conclusões desse pessoal do WEF. Peguei o post original deles e fiz minha própria leitura sobre o assunto:
1) O processo já está em andamento: Essa mudança de padrão já foi iniciada e os jovens já estão naturalmente exigindo formas diferentes de aprender. A educação online já deixou de ser uma promessa e agora não é apenas aceita, mas também cada vez mais exigida pela sociedade.
2) A reputação está em franco crescimento: A reputação da educação online também está mudando, junto com as universidades que começam a oferecer experiências educativas de qualidade, algumas inclusive melhores do que as experiências puramente tradicionais.