13/09/2017 / Em: Clipping

 

Vestibular 2018 da Unicamp bate recorde (Correio Popular – Conteúdo – 13/09/2017)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) informou ontem que recebeu um número recorde de candidatos para o Vestibular Unicamp 2018. Foram 83.779 inscritos, dez mil a mais que na última seleção, quando foram feitas 73.498 inscrições — alta de 14%. Anteriormente, o maior número de candidatos havia sido registrado em 2016, com 77.768 candidatos. De acordo com a Comvest, o aumento está relacionado com a ampliação das provas para quatro novas cidades (Belo Horizonte, Fortaleza, Indaiatuba e Valinhos), além do crescimento do número de candidatos isentos do pagamento da taxa de inscrição registrado este ano, que também foi recorde (8.650 inscritos isentos). A Unicamp também atribui o aumento ao destaque dado à universidade em rankings internacionais e ao trabalho de divulgação do vestibular, com ações como visitas às escolas, palestras, participação em feiras e a ampliação do Encontro com Professores do Ensino Médio. No Vestibular Unicamp 2018 os candidatos disputarão 3.340 vagas distribuídas em 70 cursos. A relação de candidatos por vaga passou de 22,1% para 25% nesta edição. Os locais de prova da primeira fase serão divulgados pela Comvest no dia 27 de outubro, em sua página na internet. A primeira fase será realizada no dia 19 de novembro e a segunda nos dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2018. Antes da primeira fase, haverá provas de habilidades específicas para candidatos aos cursos de música (no período de 11 a 18 de setembro e de 15 a 16 de outubro). Para os demais cursos que exigem provas específicas (arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança), as provas de habilidades específicas ocorrerão no período de 22 a 25 de janeiro.

Concorrência

As dez carreiras mais concorridas no Vestibular Unicamp 2018, segundo material divulgado pela Comvest) são medicina, com 279 candidatos por vaga; arquitetura e urbanismo (97,6); ciências biológicas – Integral(51,76); comunicação social-midialogia (48,5); engenharia química integral (34,8); odontologia (32); história (31,8); engenharia civil (31,7); engenharia de produção (31,6) e artes cênicas (31,5). O percentual de candidatos oriundos de escolas da rede pública inscritos para o vestibular 2018 é de 30,7%, ante 30,2% no ano passado. Já o percentual de candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas (de acordo com a nomenclatura utilizada pelo IBGE), passou de 20,3% no ano anterior para 22,4% do total de inscritos no Vestibular Unicamp 2018.

 


Novo e flexível ensino médio (Estadão – Edu – 13/09/2017)

Mudança define aumento da carga horária para cinco horas por dia e 40% da grade escolhida pelo próprio estudante

A maior transformação na educação básica está prestes a começar. O ensino médio, atualmente com 13 disciplinas obrigatórias, passará a ter um currículo flexível e deixará quase metade da carga horária à escolha do aluno. No fim da reforma proposta pelo Ministério da Educação (MEC), as escolas deverão ter aumentado a carga horária mínima de 800 para 1 mil horas anuais (média de quatro para cinco horas por dia) e oferecer disciplinas opcionais relacionadas a percursos escolhidos pelos alunos, o que pode incluir integração com o técnico.

Reforma do Ensino Médio

“O ensino médio não responde às demandas que a sociedade vai fazer para o jovem. O aluno mais pobre não tem outras oportunidades (além da escola pública). Então é fundamental essa mudança”, afirmou Priscila Cruz, do Movimento Todos Pela Educação, em fórum organizado pelo Estado para debater o tema. “Sou de uma geração que achava que ensino médio é isso mesmo. Quando a gente põe a cabeça para fora, percebe que só o Brasil tem esse sistema.” Com a mudança, os alunos poderão compor 40% da grade com um currículo complementar. A lei que reformou o ensino médio fala em cinco itinerários formativos: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Profissional. Redes públicas e colégios particulares poderão desdobrá-los em trajetos que combinem matérias de diferentes percursos. As escolas, no entanto, só são obrigadas a oferecer um itinerário. Fica a critério de cada colégio ofertar mais de uma opção de percurso aos estudantes. Aprovada em fevereiro, a reforma estabeleceu alguns prazos. Mas, segundo o MEC, antes de 2020 o currículo flexível não será uma realidade nas escolas. As instituições têm até 2022 para cumprir as cinco horas de aula por dia. O governo também promete fomentar a educação integral nos Estados para levá-la à metade da rede pública em até dez anos. Outras definições ainda dependem da aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que definirá os conteúdos obrigatórios. Como a reforma é abrangente e tem diversos pontos a serem estabelecidos, a mudança suscita muitas dúvidas – algumas estão nesta e nas próximas páginas; respondidas com base em informações do MEC. “Não podemos olhar a reforma sem olhar para base”, disse Ilona Becskeházy, pesquisadora e consultora de Políticas Educacionais, durante o evento no jornal. “A reforma só tem chance de ter sucesso do ponto de vista do aluno e da justiça social, se ele chegar ao ensino médio dominando o que está proposto na base curricular.”

Fraco

O ensino médio é considerado a etapa mais problemática da educação básica. Há seis anos os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) estão estagnados na nota 3,7, de um total de 10. Dados levantados pelo Todos Pela Educação, com base em avaliações do MEC, mostram que, ao fim do médio, 90% dos alunos não têm desempenho adequado em Matemática e 78% em Português. Cerca de 1,3 milhão de jovens de 15 a 17 anos está fora da escola, por motivos como trabalho, gravidez na adolescência e desinteresse, segundo estudo do Instituto Unibanco com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “De 100 jovens do ensino fundamental, só 65 chegam ao médio e só 7 vão para faculdade”, disse Ricardo Henriques, do Instituto Unibanco, no evento no jornal.

Calendário previsto:

Já está correndo o prazo para as escolas aumentarem a carga horária mínima de 800 horas anuais, para ao menos 1 mil horas, até março de 2022.

Fim de 2017

Previsão para o MEC divulgar a proposta da base curricular do ensino médio.

Fim de 2018

Previsão do conselho para terminar a análise da base curricular e remeter ao MEC para homologação, caso a proposta seja entregue no prazo previsto.

Fim de 2019

Conselhos Estaduais de Educação terão um ano, após a publicação da base curricular, para definir diretrizes e apresentar um cronograma de implementação da reforma.

2020

Cronogramas de preparação dos Estados e das escolas para a reforma começam a valer.

Início de 2021

Vence o prazo de preparação dos professores para a reforma, caso a base curricular seja entregue de acordo com a previsão. Primeiras turmas de ensino médio com a base curricular serão matriculadas.


Vestibular da Unicamp bate recorde de inscritos: 83,7 mil (G1 – Campinas e Região – 12/09/2017)

Número é 14% superior ao registrado no ano passado; do total de inscritos, 30,7% são da rede pública de ensino.

O Vestibular 2018 da Unicamp recebeu 83.779 inscrições, um recorde de acordo com a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest). O total de candidatos é 14% superior ao registrado no ano passado: 73.498. O maior número de candidatos havia sido registrado no Vestibular 2016, quando 77.768 candidatos se inscreveram. Entre os inscritos, 22,4% são pretos, pardos ou indígenas, e 30,7% são da rede pública de ensino, índice 0,5% maior que o aferido em 2016. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (12). Os 83.779 candidatos disputarão 3.340 vagas, distribuídas em 70 cursos de graduação da Unicamp. O curso mais concorrido é o de medicina, com relação de 279 candidatos por vaga.

Os mais concorridos

Medicina, com 279 candidatos por vaga

Arquitetura e Urbanismo (97,6 c/v)

Ciências Biológicas – Integral (51,8 c/v)

Comunicação Social-Midialogia (48,5 c/v)

Engenharia Química – Integral (34,8 c/v )

Odontologia (32,1 c/v)

História (31,8 c/v)

Engenharia Civil (31,7 c/v)

Engenharia de Produção (31,6 c/v)

Artes Cênicas (31,5 c/v)

A Comvest atribuiu o aumento no número de inscritos a ampliação das provas em quatro novas cidades (Belo Horizonte, Fortaleza, Indaiatuba e Valinhos), a relação de isentos (8.650 inscritos) e também ao destaque dado à Unicamp nos rankings internacionais – foi apontada como a melhor univesidade da América Latina pela revista Times Higher Education (THE).

Locais de prova

A Comvest informou que os locais de prova da primeira fase serão divulgados no dia 27 de outubro, no site da comissão. A primeira fase será realizada no dia 19 de novembro e a segunda fase acontecerá nos dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2018. Antes da primeira fase, haverá provas de Habilidades Específicas para candidatos aos cursos de Música (no período de 11 a 18 de setembro – Etapa I e de 15 a 16 de outubro – Etapa II). Para os demais cursos que exigem provas específicas (Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança), as provas de Habilidades Específicas ocorrerão no período de 22 a 25 de janeiro de 2018.

 


Unicamp tem recorde de inscritos no vestibular 2018 (Guia do Estudante – Universidades – 12/09/2017)

São 10 mil candidatos a mais inscritos este ano; número de candidatos de escola pública e autodeclarados pretos, pardos e indígenas também aumentou

O vestibular 2018 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) tem recorde de inscritos: 83.779, 10 mil a mais do que o registrado no ano passado, um aumento de 14%. Antes, o maior número de inscritos havia sido registrado no vestibular 2016, que teve 77 mil inscritos. O período para se candidatar ao exame terminou em 31 de agosto. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) acredita que o aumento de candidatos seja devido à ampliação do número de cidades que terão aplicação do exame – serão quatro a mais esse ano: Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Indaiatuba (SP) e Valinhos (SP). Também houve recorde de candidatos isentos da taxa de inscrição, com 8.650 estudantes. O percentual de candidatos oriundos de escolas da rede pública inscritos aumentou para 30,7%, contra 30,2% no ano passado. Já o percentual de candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas passou de 20,3% no ano anterior para 22,4% do total de inscritos.

Concorrência

As carreiras mais concorridas do vestibular são Medicina, com 279 candidatos por vaga; Arquitetura e Urbanismo (97,6); Ciências Biológicas (51,8); Comunicação Social-Midialogia (48,5); Engenharia Química (34,8); Odontologia (32,1); História (31,8); Engenharia Civil (31,7); Engenharia de Produção (31,6) e Artes Cênicas (31,5).

Provas

A primeira fase do vestibular será realizada em 19 de novembro e a segunda fase acontecerá nos dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2018. Antes da primeira fase, haverá provas de Habilidades Específicas para candidatos aos cursos de Música (no período de 11 a 18 de setembro – Etapa I e de 15 a 16 de outubro – Etapa II). Para os demais cursos que exigem provas específicas (Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança), as provas de Habilidades Específicas ocorrerão no período de 22 a 25 de janeiro de 2018.

 


Vestibular 2018 da Unicamp tem recorde de inscritos (A Tribuna – Notícias – 12/09/2017)

O aumento em relação ao ano anterior é de 14%

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) recebeu um número recorde de candidatos para o Vestibular Unicamp 2018: 83.779 inscritos. Foram dez mil inscritos a mais que no ano passado, quando a Unicamp recebeu 73.498 inscrições para o vestibular. O aumento em relação ao ano anterior é de 14%. O maior número de candidatos havia sido registrado no Vestibular Unicamp 2016, quando 77.768 candidatos se inscreveram. De acordo com a Comvest, o aumento está relacionado com a ampliação das provas para quatro novas cidades (Belo Horizonte, Fortaleza, Indaiatuba e Valinhos), além do crescimento do número de candidatos isentos do pagamento da taxa de inscrição registrado esse ano, que também foi recorde (8.650 inscritos isentos). Outros aspectos relevantes para o crescimento do número de inscritos foram o destaque dado à Unicamp nos rankings internacionais e o trabalho de divulgação do vestibular, intensificado pela Comvest nos últimos meses, com ações como visitas às escolas, palestras, participação em feiras e a ampliação do Encontro com Professores do Ensino Médio. No Vestibular Unicamp 2018, os candidatos disputarão 3.340 vagas distribuídas em 70 cursos de graduação da Unicamp. A relação de candidatos por vaga (c/v) passou de 22,1% para 25% nesta edição. A tabela completa está na página eletrônica da Comvest, www.comvest.unicamp.br, assim como o total de inscritos por cidade de prova. Os locais de prova da primeira fase serão divulgados pela Comvest no dia 27 de outubro, também em sua página na internet. A primeira fase será realizada no dia 19 de novembro e a segunda fase acontecerá nos dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2018. Antes da primeira fase, haverá provas de Habilidades Específicas para candidatos aos cursos de Música (no período de 11 a 18 de setembro – Etapa I e de 15 a 16 de outubro – Etapa II). Para os demais cursos que exigem provas específicas (Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança), as provas de Habilidades Específicas ocorrerão no período de 22 a 25 de janeiro de 2018.

Concorrência

As dez carreiras mais concorridas no Vestibular Unicamp 2018 são: Medicina, com 279 candidatos por vaga; Arquitetura e Urbanismo (97,6 c/v); Ciências Biológicas – Integral (51,8 c/v); Comunicação Social-Midialogia (48,5 c/v); Engenharia Química – Integral (34,8 c/v ); Odontologia (32,1 c/v); História (31,8 c/v); Engenharia Civil (31,7 c/v); Engenharia de Produção (31,6 c/v) e Artes Cênicas (31,5 c/v).

 


Com recorde de inscritos, Unicamp divulga concorrência do Vestibular 2018 (Brasil Escola – Notícias – 12/09/2017)

Medicina, Arquitetura e Urbanismo e Ciências Biológicas são os cursos mais disputados.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) bateu recorde de inscritos no Vestibular 2018: 83.779 candidatos, o que representa um aumento 10.281 participantes em relação ao ano passado. A maior marca alcançada pela instituição havia sido a seleção de 2016, na qual foram registrados mais de 77 mil concorrentes. A Unicamp atribui os mais de 83 mil inscritos ao acréscimo de quatro cidades nos locais de prova do Vestibular (Belo Horizonte, Fortaleza, Indaiatuba e Valinhos) e ao recorde de isenções da taxa concedidas pela universidade. Esta edição contará com 8.650 vestibulandos isentos. O Vestibular 2018 preencherá 3.340 vagas em 70 cursos. As oportunidades são para Campinas, Limeira e Piracicaba.

Concorrência

Medicina permanece como o curso mais disputado da Unicamp. Para o Vestibular 2018, a graduação conta com 279 candidatos por cada vaga oferecida. Arquitetura e Urbanismo aparece em segundo lugar no ranking dos cursos mais disputados. A graduação recebeu a inscrição de 97,6 participantes por vaga.

Fecha o top 3 dos cursos mais disputados a graduação em Ciências Biológicas – Integral. Cada vaga será concorrida por 51,8 candidatos.

Confira abaixo as 10 carreiras mais concorridas do Vestibular Unicamp 2018:

Medicina – 279 candidatos por vaga

Arquitetura e Urbanismo – 97,6 candidatos por vaga

Ciências Biológicas – 51,8 candidatos por vaga

Comunicação Social – Midialogia – 48,5 candidatos por vaga

Engenharia Química – 34,8 candidatos por vaga

Odontologia – 32,1 candidatos por vaga

História – 31,8 candidatos por vaga

Engenharia Civil – 31,7 candidatos por vaga

Engenharia de Produção – 31,6 candidatos por vaga

Artes Cênicas – 31,5 candidatos por vaga

Vestibular

A primeira etapa do Vestibular 2018 da Unicamp será realizada em 19 de novembro e será constituída de questões objetivas sobre conhecimentos gerais. A segunda fase contará com provas entre os dias 14 e 16 de janeiro de 2018 e trará perguntas discursivas e a redação. Candidatos aos cursos de Música, Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança contarão, ainda, com os Testes de Habilidades Específicas (THE) nos meses de setembro, outubro e janeiro, conforme o calendário da graduação escolhida. O Vestibular será realizado em 31 cidades do estado de São Paulo, além de Brasília, Belo Horizonte e Fortaleza. O resultado será publicado em 8 de fevereiro e outras convocações serão realizadas até o mês de março de 2018.

 


Unicamp libera concorrência do Vestibular 2018 (Super Vestibular – Notícias – 12/09/2017)

Processo seletivo recebeu mais de 83 mil inscrições. Provas serão aplicadas em novembro.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou na tarde de hoje, 12 de setembro, a relação de candidatos por vaga do Vestibular 2018. Medicina é o curso mais procurado, com 279 inscritos por oportunidade. Em seguida vêm: Arquitetura e Urbanismo (97,6); Ciências Biológicas – Integral (51,8); Comunicação Social-Midialogia (48,5) e Engenharia Química – Integral (34,8 c/v ). O processo seletivo recebeu 83.779 inscrições, sendo 10 mil a mais que no ano passado. Segundo a universidade, o aumento se deve à ampliação das provas para as cidades de Belo Horizonte, Fortaleza, Indaiatuba e Valinhos e ao crescimento do número de candidatos isentos do pagamento da taxa de inscrição (8.650 inscritos isentos). No ano passado, foram recebidas 73.498 inscrições e em 2015, 77.768.

Vestibular

Os inscritos responderão na primeira fase 90 questões objetivas de disciplinas do ensino médio. Já na segunda será a vez de uma redação e questões discursivas. Interessados nos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música também deverão passar por testes de habilidades específicas em setembro e em janeiro de 2018. Nesta edição, o processo seletivo oferta 3.340 vagas em 70 opções de cursos de graduação. O número de oportunidades é o mesmo que no ano passado. Medicina foi a carreira mais procurada, com mais de 200 candidatos por vaga.