14/04/2015 / Em: Clipping

 


‘Só há mérito com igualdade’, diz diretor de filme sobre o negro na USP   (Globo.com – G1 Vestibular – 11/04/15)

O curta-metragem ” USP 7%” fará sua pré-estreia nesta segunda-feira (13) no Núcleo de Consciência Negra da Universidade de São Paulo (veja o trailer no vídeo acima). O documentário que debate o racismo e luta pela reserva de vagas na USP surgiu da observação de dois ex-alunos da universidade que constataram que os estudantes negros são minoria no universo acadêmico. Em 15 minutos, o filme traz o relato de quatro pessoas negras que levantam discussões sobre o papel do negro na sociedade. Bruno Bocchini, de 35 anos, é um dos diretores do filme. Ele explica que o interesse pelo tema apareceu quando viu em uma pesquisa do IBGE que 2,4% dos calouros eram pretos e 11,3%, pardos. “Ou seja, uma das principais universidades do país tinha menos de 15% de negros. Fizemos um recorte e vimos que 7% vinha de escola pública”, destaca. O objetivo do filme é dar visibilidade à questão dos negros na USP e à dificuldade do acesso. “Olhando o filme e parando para pensar, nós vemos que o problema sempre é com o ingresso. Seja para entrar em um prédio, para ter um espaço no prédio ou mesmo para passar no vestibular”, define o diretor.



Alunos da rede pública recebem homenagem  (Correio Popular – cidades – 14/04/15)

Alunos da rede municipal de ensino de Campinas aprovados nas escolas técnicas mais concorridas da cidade receberam ontem uma homenagem no Palácio dos Jequitibás. Vinte e cinco estudantes foram
aprovados nos cursos do Colégio Técnico da Unicamp (Cotuca), Escola Técnica Estadual Conselheiro Antônio Prado (Etecap) e Escola Técnica Bento Quirino, sem passarem por pré-vestibulinhos e, receberam das mãos do prefeito Jonas Donizette (PSB) uma placa parabenizando pelo desempenho. A cerimônia contou com a presença de professores das escolas municipais que também receberam homenagens dos ex-alunos, que hoje já cursam os colégios técnicos. Familiares dos estudantes também participaram da cerimônia, que em diversos momentos foi bastante emocionante, principalmente para os pais dos estudantes que assistiam orgulhosos seus filhos. O prefeito parabenizou os alunos e ressaltou a importância da busca pelo conhecimento, que nunca deve parar. “A palavra move, mas o exemplo arrasta. Precisamos acreditar e confiar em nossos sonhos. Temos que ter um objetivo, mesmo sendo grande, para podermos caminhar e ir ao encontro dele. O conhecimento e a sabedoria são muito preciosos na vida e para isso, levamos para sempre em todos os lugares que fomos”, afirmou. Durante a cerimônia foi destacado que 74% dos alunos de escolas técnicas saem empregados após terminarem os três anos do Ensino Técnico, além de grande parte dos alunos, ainda durante a formação, conseguirem o primeiro estágio remunerado. O estudante Miguel Luis da Silva, de 15 anos, foi um dos homenageados ontem. Ele sempre estudou na EMEF Correa de Mello, no Parque Universitário, e afirmou que a entrada no Cotuca foi o primeiro sonho alcançado em sua vida. “Sempre tive boas notas, mas me apliquei com mais atenção neste último ano. Meu pai trabalha na Unicamp e sempre falou que queria me ver estudando no Cotuca”, afirmou o adolescente, orgulhoso pela conquista. Já o estudante Carlos Henrique Santos, de 16 anos, foi um exemplo de superação e de dar a volta por cima. Durante a maior parte do Ensino Fundamental ficou conhecido na escola onde estudava, EMEF Maria Pavanati Fávaro, no Jardim São Cristovão, como um aluno indisciplinado e que sempre deu dor de cabeça aos professores em sala de aula. Porém, após repetir de ano, durante a 6ª série 7º ano, mudou completamente de postura. “Parece que virou outra pessoa e passou a ser aplicado e participar das atividades propostas”, afirmou a professora Isabel Estabeli. O adolescente, que foi gandula da seleção de Portugal, no ano passado, durante a Copa do Mundo, hoje cursa eletroeletrônica no Cotuca. “Sou o caçula da minha casa e o primeiro a cursar um colégio técnico renomado. Fico feliz e orgulhoso porque mudei e me apliquei. Com isso consegui entrar para o Cotuca em uma disputa acirrada. O próximo passo é fazer da melhor forma o curso técnico e, quem sabe, futuramente, entrar na Unicamp em um curso de engenharia. Hoje acredito que posso chegar lá”, afirmou o garoto, feliz com a placa que recebeu do prefeito.

Unicamp
Chegar à Unicamp também éo objetivo do estudante Gabriel Caires, de 14 anos. Ele começou a cursar mecatrônica, também no Cotuca e se prepara para encarar, daqui três anos, o vestibular para a Unicamp. “Sempre fui aplicado e estudei bastante. Sempre sonhei com a universidade estadual e entrar no Cotuca foi o primeiro passo para essa conquista”, afirmou Caires.