14/06/2012 / Em: Clipping

 


Com 65 universidades, Brasil domina ranking de melhores latinas  (Terra – Vestibular – 13/06/12)

As universidades brasileiras confirmam seu domínio na segunda edição do QS University Rankings: Latin America publicado nesta quarta-feira, 13 de junho. Com 65 universidades entre as melhores no top 250, as instituições brasileiras representam 26% do total de universidades ranqueadas entre os 19 países da região. A Universidade de São Paulo (USP) lidera a lista, seguida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que aparece em terceiro lugar. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também figura entre as 10 melhores, na oitava posição. Segundo os organizadores do ranking, o forte posicionamento do Brasil no pode ser atribuído a um esforço nacional em aumentar o acesso ao Ensino Superior – com o número de matrículas triplicado na última década – e com políticas objetivando aumentar a qualidade e quantidade de pesquisas acadêmicas. Um estudo da US National Science Foundation aponta que o Brasil também triplicou sua produção de trabalho científico entre os anos de 1993 e 2003, número que só vem aumentando desde então.



Unicamp é 3ª melhor em ranking da América Latina  (Correio Popular – Cidades – 14/06/12)

A Universidade de São Paulo (USP) foi eleita a melhor universidade da América Latina, segundo ranking divulgado pelo grupo britânico Quacquarelli Symonds. A instituição paulista recebeu a nota máxima—100—de acordo com os critérios de avaliação adotados e encabeça a lista, que avalia as 200 melhores faculdades latino-americanas. O Brasil tem mais oito representantes entre as 25melhores. A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aparece na terceira posição, seguida das federais do Rio de Janeiro (UFRJ), a oitava, de Minas Gerais (UFMG), a 13ª, do Rio Grande do Sul (UFRGS), a 14ª,e de São Paulo (Unifesp), a15ª. A Universidade Estadual Paulista (Unesp) aparece na 16ª colocação, logo à frente da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), a instituição particular mais bem colocada entre as brasileiras. A Universidade de Brasília (UnB), na 25ª posição, encerra a relação das nacionais no topo da lista. Para  Fernando Costa, reitor da Unicamp, o desempenho reflete a internacionalização promovida nos últimos anos na universidade. “O reconhecimento nos mostra que a busca por  profissionais estrangeiros é o caminho a ser seguido”, afirmou. Segundo o reitor, entre 10% e15% dos docentes atuais não são brasileiros. As sete primeiras universidades mantiveram as posições do ranking de 2011, o primeiro do QS exclusivo para a América Latina. A oitava colocação,  antes ocupada pela Universidade de Buenos Aires,  passou para a UFRJ, que saltou do 19º lugar no ano passado para o top 10. A Unifesp subiu 16 posições e passou a figurar entre as 25primeiras. Em 2011, era apenas a 31ª. As demais instituições apresentaram queda no ranking divulgado. A UFMG passou de 11º lugar para o 13º, a PUC-Rio foi do 15º para o 18º e a Unesp caiu uma posição,  indo da 16ª para a17ª.  A UnB foi a universidade que mais caiu—foi da 12ªpara a 25ª colocação. A UFRGS manteve-se como a 14ª melhor na lista das melhores universidades. Ainda entre as 25 melhores, figuram universidades de outros quatro países apenas—Chile (4), México (5), Argentina (4) e Colômbia (3).A avaliação do QS britânico leva em consideração a reputação acadêmica das instituições e de seus funcionários, assim como o número de trabalhos publicados e citados, o tamanho da universidade e quantos alunos recebe, além da relevância das pesquisas na internet.