14/10/2008 / Em: Clipping

 


Vestibular – Cursos superior de tecnólogo ganham espaço na região

Demanda crescente das empresas leva instituições a ampliarem oferta na área

Carolina Cunha
Juliana Facchin
DA AGÊNCIA ANHANGÜERA

A aceitação de cursos superiores de tecnólogos por estudantes e pelo mercado de trabalho vem crescendo significativamente no Brasil e acompanha uma tendência de diversificação da oferta de Ensino Superior. De olho nesse novo nicho, a grande maioria das faculdades e universidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) também passaram a investir na área, que tem demanda de sobra em busca de formação cada vez mais especializada.

Um dos fatores que podem explicar essa expansão é que esses cursos tecnológicos buscam formam profissionais para atender campos mais específicos, enquanto os cursos de bacharelado propiciam uma visão mais generalista da profissão e os de licenciatura habilitam os formandos a darem aulas em diversos níveis de ensino. Além disso, esses cursos são mais compactos, com duração média menor que a dos cursos de graduação tradicionais, e a metodologia de ensino é mais prática, facilitando assim a formação do estudante. Mas se engana quem pensa que os cursos de tecnologia são apenas de curta duração. A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) oferece cinco cursos nessa modalidade com duração de quatro anos. As aulas são ministradas no Centro Superior de Educação Tecnológica (Ceset) da universidade, em Limeira, desde 1974.

Outra vantagem é que os graduados nessa modalidade, assim como os bacharéis e licenciados, também podem continuar os estudos na pós-graduação. “Esses cursos são de Ensino Superior, diferente dos cursos técnicos, que também são concluídos com maior rapidez, mas estão alocados no nível de Ensino Médio”, ressaltou o pró-reitor de graduação da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Germano Rigacci Júnior.

A curta duração e a possibilidade de conseguir uma vaga mais rápido no mercado de trabalho foram que os principais atrativos que levaram a jornalista Caroline Vian, de 23 anos, se matricular num curso superior de tecnologia em gestão de recursos humanos, na Universidade Paulista (Unip) neste meio do ano. “Acho que nesse curso terei mais chances de conseguir ingressar no mercado de trabalho, principalmente por ser um curso mais prático e especializado”, explicou a estudante. Ela terminou a primeira graduação no final de 2007 e, como não queria perder tempo, decidiu investir em outra carreira o quanto antes. “Queria ter a oportunidade de escolher outra opção de carreira enquanto ainda sou nova”, ressaltou a jornalista.

Diferentemente de Caroline, que decidiu investir numa nova área de atuação, o bacharel em artes visuais Joaquim David Neto pretende utilizar os conhecimentos obtidos com a nova graduação de tecnologia em rede de computadores na própria profissão. “Minha idéia inicial é conciliar o aprendizado desse curso na área que já atuo como um complemento, mas também tenho outros interesses que ainda precisam amadurecer para o futuro”, contou Neto, que começou o curso em agosto deste ano.

Experiência

Uma característica marcante no perfil do candidato a esses cursos é a experiência. Muitos deles já trabalham na área e estão em busca de um diploma para conseguirem uma promoção ou até mesmo uma colocação melhor no mercado.

O empreiteiro Anderson Roberto de Andrade, de 43 anos, representa bem esse perfil. Ele já trabalha há anos na área, mas decidiu ingressar no curso de tecnologia em construção de edifício em busca do diferencial: o diploma. “Eu já tenho uma boa experiência na área, mas chega uma hora que ter um diploma faz muita diferença”, afirmou Andrade.

O estudante ressaltou, ainda, que o tratamento até muda quando se possui um diploma, independentemente dos anos de experiência que se tem na área. “Acho muito importante estar sempre atualizado. Mas só o fato de eu ter o diploma significa ter um tratamento diferenciado perante o mercado de trabalho. Impõe mais respeito.”

Ajuda

Uma boa dica para quem ainda não se decidiu ou ainda está inseguro em ingressar num desses cursos de tecnologia é consultar o Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia (

http://portal.mec.gov.br/setec/) criado em junho de 2006 pelo Ministério da Educação (MEC). Esse catálogo é uma espécie de guia que reúne denominações de cursos superiores de tecnologia consolidadas, descrições sintéticas do perfil do profissional formado, carga horária mínima estabelecida e infra-estrutura recomendada para o funcionamento desses cursos.

O NÚMERO

100
CURSOS

Superiores de tecnologia estavam catalogados pelo Ministério da Educação (MEC) em julho deste ano

Cresce número de vagas oferecidas pelas Fatecs

Na RMC, oferta saltou para 1.440 e, no Estado, já são mais de 7,7 mil

O número de vagas oferecidas neste vestibular pelas Faculdades de Tecnologia (Fatec) da RMC cresceu 227% se comparado com o ano passado. Eram oferecidas 440 vagas em quatro unidades de ensino e, hoje, a oferta subiu para 1.440 vagas.

O aumento significativo é resultado do plano de expansão do ensino técnico (nível médio) e tecnológico (nível superior) criado pelo governo estadual com o objetivo de dobrar o número de Fatecs no Estado de 26 para 52 e implantar todas as condições em 2010 para alcançar 100 mil novas matrículas no ensino técnico em 2012.

Em todo o Estado de São Paulo, o próximo vestibular vai oferecer 7.715 vagas, o que representa um aumento de 85% em relação ao mesmo período de 2007, quando foram oferecidas 4.170.

Entre os 45 cursos superiores gratuitos oferecidos pelas Fatecs, seis são inéditos: comércio exterior (Fatec Praia Grande), eventos (Fatec Jundiaí), secretariado (Fatecs Itaquaquecetuba e São Caetano do Sul), sistemas aeronáuticos — manufatura e sistemas aeronáuticos — mecânica e manutenção (ambos na Fatec São José dos Campos) e radiologia (Fatec Botucatu).

Mais informações podem ser obtidas pelos estudantes no site

http://www.fatecsp.br/.

(CC e JF/AAN)

SAIBA MAIS
Alguns cursos superiores de tecnologia na região


INSTITUIÇÃO / INSCRIÇÕES

Anhangüera: Até 31/10
FAJ/Policamp: Até 6/11
Fatec:Até 20/10
IBTA/Metrocamp: Até 8/11
PUC-Campinas:Até 31/10
SENAC:Até 10/11
Unicamp: Encerradas
UNIMEP:Até 2/12
Unip:Até 17/11
Unisal:Até 6/11
USF:Até 4/11



Unicamp analisa currículo de candidatos em seleção para vagas remanescentes

Estudantes devem levar documentos até o dia 17.
Confira a lista de requisitos.

Os 485 selecionados na primeira fase do processo seletivo de vagas remanescentes 2009, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), devem comparecer até 17 de outubro à instituição para a etapa de análise de currículo.

O local marcado é a Diretoria Acadêmica da Unicamp (DAC), no Pavilhão Básico do campus de Campinas (final do corredor), no período de 9h às 16h30.

É necessário levar cópias dos seguintes documentos (cópias autenticadas ou cópias juntamente com originais):

I. comprovante de reconhecimento do curso em que se encontra matriculado, exceto para candidato oriundo do instituição estrangeira ou da própria Unicamp;

II. histórico escolar parcial, até a data da inscrição, contendo notas, unidades de créditos e/ou respectivas cargas horárias das disciplinas cursadas, exceto para alunos da Unicamp.

III. atestado de matrícula, contendo disciplinas com unidades de créditos e/ou respectivas cargas horárias em curso, exceto para alunos da Unicamp;

IV. programas pormenorizados das disciplinas cursadas ou em curso, devidamente autenticados pelas instituições de origem, exceto para alunos da Unicamp;

V. para portadores de diploma de curso superior, cópia do respectivo diploma registrado, histórico escolar completo, bem como o solicitado no Inciso IV.

No ato da entrega da documentação, os candidatos precisam apresentar todos os documentos citados. Os documentos devem ser entregues pessoalmente ou por um procurador.

A Unicamp divulga dia 5 de dezembro a lista de convocados para as provas específicas de conhecimento.

Para as Provas Específicas de Conhecimento, que serão realizadas de 9 a 15 de dezembro de 2008, serão selecionados os candidatos que tiverem seus currículos julgados compatíveis com o semestre escolhido pelos coordenadores de graduação dos cursos. As provas podem consistir de entrevista, análise de currículo, parte escrita e outras formas de avaliação.

Este ano a Unicamp oferece 773 vagas remanescentes, distribuídas entre 53 opções de cursos. Participam da seleção, alunos matriculados em cursos de graduação da Unicamp e de outras instituições do ensino superior, além de portadores do diploma de curso superior.

A lista de convocados para a matrícula (cursos sem prova de aptidão) será divulgada no dia 22 de janeiro de 2009. Já para os candidatos a vagas em cursos que exigem também as provas de aptidão, a lista será divulgada dia 2 de fevereiro de 2009.