18/01/2011 / Em: Clipping

 


Estudantes acham segunda prova da Unicamp mais fácil que a primeira (Globo.Com. – G1 Vestibular – 17/01/11)

Estudantes ouvidos pelo G1 consideraram o segundo dia de provas do vestibular da Universidade de Campinas (Unicamp) nesta segunda-feira (17) mais fácil do que o primeiro dia, quando foram aplicadas as provas de matemática, português e literatura. Nesta segunda, os candidatos responderam questões sobre história, geografia, artes e inglês. O vestibular continua nesta terça-feira (18) com a prova de ciências da natureza. Por volta das 15h30 desta segunda, quando deu o tempo mínimo de duas horas de avaliação, grande parte dos candidatos já deixava o campus Swift da Unip, em Campinas, um dos locais de prova. No exame do primeiro dia, no domingo, muitos estudantes reclamaram que o tempo foi insuficiente para resolver todas as questões e poucos candidatos saíram após o tempo mínimo de avaliação. No total, o vestibular tem quatro horas de duração. Para Guilherme Augusto Cardoso, de 18 anos, candidato a uma vaga no curso de engenharia agrícola, nesta segunda-feira, a parte de história estava um pouco mais difícil, em compensação, segundo ele, inglês foi bem tranquilo. “Em humanas tinha de saber conteúdo, mas consegui responder quase todas as questões.

Candidatos perderam a prova

Três candidatos chegaram atrasados para a prova do segundo dia do vestibular da Unicamp nesta segunda-feira (17), no campus Swift da Unip, em Campinas. A chuva e o trânsito prejudicaram a ida dos candidatos ao local de prova. Os portões foram fechados às 13h02 para a prova de ciência humanas, artes e inglês. Um rapaz e uma moça se desesperaram quando viram que tinham perdido a prova e choraram. Os estudantes alegaram que se atrasaram porque o trânsito estava carregado por causa da chuva. Candidato a uma vaga ao curso de engenharia, o terceiro estudante disse que saiu de Santo André para fazer a prova em Campinas. Da rodoviária, pegou um táxi até o local de provas. Chegou pouco tempo após os portões serem fechados. As provas seguem até terça-feira (18), sempre das 13h às 17h. Neste ano 16.644 candidatos aprovados para a segunda fase disputam 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O vestibular recebeu número recorde de inscrições, 57.201.



Questões de geografia da segunda fase da Unicamp tiveram problemas de formulação, dizem professores  (UOL – Vestibular – 17/01/11)

Professores de cursinhos ouvidos pelo UOL Vestibular disseram que a prova de geografia do segundo dia da segunda fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), realizada hoje (17), tinha questões com formulações complicadas e que exigiam do aluno conhecimentos além do conteúdo do ensino médio. As outras provas receberam elogios dos professores.



Unicamp: abstenção no 2º dia pode mostrar desestímulo dos alunos (Terra – Vestibular – 17/01/11)

O índice de abstenção de 1,35% no segundo dia da segunda fase do vestibular 2011 da Universidade de Campinas (Unicamp) teve quase o dobro dos ausentes nas provas do ano passado – quando o indicador foi de 0,71%. Segundo o coordenador da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), Renato Pedrosa, os números de agora são maiores fora de São Paulo, em especial em capitais, e podem refletir falta de estimulo dos candidatos. “Talvez eles acreditem não ter ido bem em Matemática e Português, aplicadas no domingo, ao contrário do ano passado, quando Matemática foi realizada no último dia de provas”, disse Pedrosa. “Pode ser que o candidato tenha encontrado relativa dificuldade no primeiro dia, também em Língua Portuguesa e Literatura, que também exigem mais do candidato, necessitando uma melhor preparação, uma boa leitura, bom texto e interpretação”, analisou. Segundo ele, os exames aconteceram sem problemas e dentro da normalidade.

Tempo curto

Alguns candidatos reclamaram que o tempo foi curto para a resolução da prova de domingo. Questionado, o coordenador da Comvest disse que o candidato tem em torno de 10 minutos para resolver cada questão. “Não dá para ficar preso a uma mais que isso”, comentou. Ele adiantou que a maioria das amostras de prova para correção, em torno de 60%, estavam com todas as questões respondidas. “A prova de Língua Portuguesa é a mais trabalhosa para se corrigir, assim como também exige mais do candidato”, disse ele.Pedrosa afirmou que a coordenação futuramente pode analisar a aplicação da futuras provas “com pequenas adequações. “Vamos analisar se muitas perguntas do final da folha foram deixadas em branco, por exemplo”, completou.

Candidatos da Unicamp reclamam de “falta de tempo” para prova  (Terra – Vestibular – 17/01/11)

O guarda-chuva virou mais um item do kit básico dos candidatos ao vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) no segundo dia de provas da segunda fase, nesta segunda-feira, no prédio da Universidade Paulista (Unip), no Paraíso, região central de São Paulo. Porém, não foi a chuva nem o trânsito carregado na capital paulista o tema das rodas de conversa antes do exame. A maioria dos estudantes reclamou do pouco tempo – 4 horas – para responder às 12 questões de Matemática e outras 12 de Português e Literatura no primeiro dia de provas, no domingo. “A prova da Unicamp é trabalhosa, com questões dissertativas. O problema mesmo foi a falta de tempo. Acho que tivesse mais uma hora, eu teria respondido tudo”, disse Felipe Marin, 19, candidato do curso de Engenharia da Computação, que não quis informar o número de perguntas que deixou em branco. Ao seu lado, a estudante Danielle Jardim, 19, candidata do curso de Arquitetura, reiterou que o grau de dificuldade, desta vez, foi o que menos preocupou os candidatos.



Segundo dia da Unicamp é mais tranquilo, dizem vestibulandos (IG – Educação – 17/01/11)

Mais aliviados do que no último domingo, os estudantes começam a deixar os locais de prova da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ontem foram aplicadas 12 questões dissertativas de Português e Literatura e 12 de Matemática, e muitos reclamaram da falta de tempo para resolver a prova. Nesta segunda, os candidatos enfrentaram com mais tranquilidade outras 24 perguntas, 18 de Ciências Humanas e seis de Inglês. Marcela Hirata, de 18 anos, deixou a Universidade Paulista (Unip) do Paraíso, local de prova com mais inscritos na capital paulista, aliviada. “Hoje estava mais tranquilo”, definiu a candidata a uma vaga em Ciência da Tecnologia. Giovanna Zucchini, de 18 anos, candidata à Medicina, terminou a prova com folga. “Poderiam ter tirado uma hora da prova de hoje e ter dado para a de ontem”, brincou. Todas as provas da segunda fase da Unicamp tem duração de quatro horas, mas no domingo, o tempo não foi o suficiente para a estudante. Com temas atuais, como a usina hidrelétrica de Belo Monte, Guerra do Iraque e agropecuária brasileira, a prova de Ciências Humanas trabalhou bem a interdisciplinaridade, segundo os estudantes. José Renato Navikas, de 21 anos, presta vestibular para Engenharia Mecânica e aprovou os temas contemporâneos.



Prova de geografia e história da Unicamp teve questões mais aprofundadas  (O Estado de S.Paulo – Educação – 17/01/11)

Professores ouvidos pelo Estadão.edu consideraram que as provas do segundo dia da 2ª fase da Unicamp, aplicadas nesta segunda-feira, 17, mantiveram ou elevaram o nível de dificuldade do processo seletivo do ano passado, com abordagem mais aprofundada nas questões de geografia e história. No caso da prova de inglês, os professores ressaltaram a diversidade de fontes para elaboração das questões.  O baixo número de questões sobre história do Brasil foi um dos fatores destacados. Das nove questões, apenas três abordavam o tema, enquanto as demais eram relacionadas a história geral. “É a nossa história, precisa de um olhar um pouco mais carinhoso”, opina o professor Daily Oliveira, coordenador de história do Objetivo. Para ele, a prova teve abordagem um pouco mais profunda do que a do ano passado. A questão mais difícil, segundo Oliveira, foi a que citava o pensador Diderot. “Foi uma questão multidisciplinar, que envolvia conceitos de filosofia, história, sociologia e antropologia. O aluno precisava dominar todos esses conceitos para poder redigir corretamente. E o segundo item perguntava sobre Rousseau, que não é uma linguagem muito fácil para o aluno”, afirma. Uma questão inovadora, segundo o professor, foi a que abordou a imigração norte-americana para o Brasil. “Embora o tema seja clássico, fizeram uma pergunta inteligente, que saiu do padrão comum.”

Estudantes consideram provas do segundo dia da 2ª fase da Unicamp menos trabalhosas  (O Estado de S.Paulo – Educação – 17/01/11)

As provas do segundo dia da 2ª fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foram menos trabalhosas e extensas que as provas de domingo, afirmaram alunos que fizeram o exame em Santos, na Baixada Santista. Os estudantes tiveram de responder a 18 questões dissertativas de ciências humanas e artes e 6 de língua inglesa. “Hoje deu tempo de fazer tudo, foi mais tranquilo, mas estou desconfiando que amanhã vai ser corrido como ontem, porque a prova terá muitas contas”, disse a estudante Giullia Sarabando, de 18 anos, que tenta uma vaga no curso de Engenharia de Produção. Segundo ela, as provas de geografia e história abrangeram um vasto conteúdo e para ir bem na prova de inglês, o aluno precisava ter bastante vocabulário. “Não era interpretação de texto, tinha que saber o significado de cada palavrinha”, completa.

Segundo dia da Unicamp tem abstenção de 9,3%  (O Estado de S.Paulo – Vida& – 18/01/11)

Aprovado segundo dia da segunda fase do vestibular da Unicamp (ciências humanas, artes e inglês) teve abstenção de 9,35%. Dos 16.644 candidatos convocados, 1.557 não compareceram. Ontem, Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) registrou índice de abstenção de 8%. Candidatos ouvidos pelo Estado consideraram a prova menos trabalhosa e extensa que a realizada anteontem.



Unicamp erra em duas questões do vestibular (Correio Popular – Cidades – 18/01/11)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realiza hoje à tarde a última provada segunda fase do vestibular 2011. Ontem, o exame transcorreu sem problemas e o índice de abstenção foi de 9,35%. Mas, o primeiro dia foi marcado por erros nas provas de português e matemática. No domingo, a Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), responsável pela prova da Unicamp, divulgou uma errata para duas questões. O problema foi percebido pela banca no início da prova e comunicado aos estudantes. A Comvest informou que as questões não serão anuladas e duas formas de respostas serão levadas em conta. Na prova de matemática,o item a) da questão 15 apresenta uma troca de unidade. Onde constava 130 mg/ml, deveria constar 130 mg/dl. Serão aceitas as respostas que considerem ambas as unidades (ml ou dl). Na questão 7 da prova de língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa, o erro foi na transcrição na última estrofe do poema Poética I, de Vinícius de Moraes. Onde consta “Tudo onde há espaço” deveria ser “Ando onde há espaço”. Segundo a Comvest, a banca levará em conta as duas formas na correção da questão. Ontem, a prova foi de ciências humanas e artes, com 18 questões, e de língua inglesa, com seis questões. A partir das 13h de hoje, os vestibulandos resolverão 24 questões de ciências da natureza. Nos dois primeiros dias da segunda fase, os estudantes reclamaram. “Achei que as provas estavam difíceis. Mas acredito que a prova de química e física será pior”, disse Dayana Castro, de 16 anos,candidata ao curso de enfermagem.Lívia da Silveira Franco,de 22 anos, já faz o 2º ano de licenciatura integrada em química e física na Unicamp e deseja mudar para engenharia civil. “Acho que o vestibular desse ano está de cara nova e muito difícil. Eles querem selecionar candidatos que saibam escrever bem e relacionar os conteúdos”, disse. A queixa geral dos estudantes no primeiro dia foi em relação ao tempo e, para hoje, os candidatos podem esperar uma prova trabalhosa. “Serão as provas de química, física e biologia, que também exigem um pouco mais de atenção. Controlar o tempo vai ser muito importante”,  orienta o coordenador da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), Renato Pedrosa. Ontem, o índice de abstenção foi de 9,35%, o correspondente a 1.557 candidatos. No domingo, o índice foi de 8% (1.332). “A relativa dificuldade da primeira prova pode ter desestimulado os estudantes que acharam que não foram bem”, explica Pedrosa.

Resultado

A primeira lista de aprovados será divulgada no dia 7 de fevereiro, às 12h, na página da Comvest e no saguão do Ciclo Básico II, campus da Unicamp em Campinas.



Provas do segundo dia da 2ª fase da Unicamp foram médias, dizem cursinhos (Folha Online – Educação – 17/01/11)

Professores de cursinhos pré-vestibular consideraram de nível médio as provas de história e inglês da segunda fase do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), realizadas nesta segunda-feira. Já a prova de geografia exigiu mais dos candidatos. As provas de ontem foram de Matemática e Português. Nesta terça-feira (18), último dia do vestibular, é a vez da prova de ciências da natureza, que engloba conhecimentos de física, química e biologia.

HISTÓRIA

Para o professor Elias Feitosa Amorim, do Cursinho da Poli, as questões da prova de história tiveram grau médio de dificuldade. Como todas as questões eram compostas por itens A e B, o primeiro era sempre relacionado a interpretação de texto e o segundo a aspectos mais aprofundados da matéria. José Carlos de Moura, do Anglo, concorda que as questões eram médias. “Foram exigentes, mas sem exagerar”, disse. Como previsto em edital, havia uma questão de história da arte e outra de sociologia, mas os conhecimentos de história ajudaram na resolução das duas. “Mesmo se o aluno nunca tivesse tido aula dessas matérias, ele conseguiria responder”, avalia Amorim. Daily de Matos Oliveira, professor do Objetivo, fez uma crítica à prova: “Achei que teve poucas questões de história do Brasil. Eram apenas 3 de 9. Esperávamos pelo menos a metade”.



Geografia foi disciplina mais difícil no 2º dia da Unicamp (Jornal Agora – Dicas – 18/01/11)

Professores de cursinhos pré-vestibulares consideraram que o segundo dia de provas da segunda fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) teve um nível maior do que o das provas da Fuvest (que seleciona os candidatos da Universidade de São Paulo). Geografia teve a prova mais difícil, segundo Alexandre Gobbis, professor do Cursinho da Poli. “Geografia física exigiu conhecimentos específicos e os alunos precisavam saber bastante sobre atualidades.” Já história apresentou maior dificuldade apenas em uma questão, que exigia conhecimentos de filosofia, segundo Daily Oliveira, professor do Colégio Objetivo. “O nível era alto para o aluno do ensino médio”, disse. O segundo dia também teve questões de inglês. A abstenção foi de 9,3%. Só 15.087 candidatos continuam disputando as 3.444 vagas oferecidas. Hoje, os candidatos enfrentam o terceiro dia de provas, respondendo às questões de ciências da natureza (biologia, física e química).  

Fuvest pode usar nota do Enem na 2ª fase  (Jornal Agora – Dicas – 18/01/11)

A USP (Universidade de São Paulo) planeja incluir o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) na nota final obtida pelos candidatos do seu vestibular. Segundo a pró-reitoria, o exame poderá ser utilizado na segunda fase. “Assim dá tempo”, afirma a pró-reitora Telma Maria, referindo-se ao fato de a USP ainda não ter usado o Enem por causa de datas coincidentes da primeira fase da Fuvest (que seleciona os alunos). O Conselho de Graduação da universidade deve apresentar resolução final até maio, quando o próximo exame começará a ser organizado. Para Mateus Prado, especialista em políticas públicas com foco no Enem, a adesão da USP fortalece o exame. “Vai incentivar os alunos de São Paulo a prestarem o Enem. Esse passo mostra boa vontade da USP com relação ao exame”, afirma Prado. Além do Enem, outra reformulação em estudo na pró-reitoria de graduação é no Inclusp (Programa de Inclusão Social da USP). Segundo Telma Maria, a intenção é fazer com que todos os bônus na nota dos candidatos do vestibular sejam vinculados ao mérito. Hoje, há três tipos de bônus: 1) o universal, de 3%, concedido a candidatos que tenham estudado o ensino médio na rede pública; 2) o Fuvest, de até 6%, obtido a partir do desempenho do aluno na 1ª fase; 3) o Pasusp, de até 3%, obtido a partir de desempenho em prova aplicada a candidatos do 3º ano do ensino médio.



Unicamp faz hoje o 3º dia de prova  (Jornal Cruzeiro do Sul – Educação – 18/01/11)

O vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) continua hoje, quando será aplicada a prova do terceiro dia da segunda fase. Os candidatos irão testar seus conhecimentos sobre Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia), em uma prova com 24 questões dissertativas. A disputa será para uma das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Ontem, aconteceram as provas do segundo dia, sobre Ciências Humanas e Artes, com 18 questões, e de língua inglesa, com seis questões. O vestibular acontece na Cidade Universitária da Universidade de Sorocaba (Uniso). Na prova de ontem, os estudantes começaram a deixar as salas por volta das 15h30, muitos com o sentimento de confiança. Josué Ferreira, 22 anos, tenta uma vaga no curso de Engenharia Agrícola e não teve problemas na hora de responder as questões. Estava mais fácil do que ontem (16), com certeza, afirma Josué. É sua primeira vez no vestibular da Unicamp, mas revela que nunca fica muito nervoso.  Outra candidata que tentava ingressar na Unicamp pela primeira vez é Aline Marques, 19.



Unicamp encerra segunda fase nesta terça-feira  (Veja – Ensino Superior – 18/01/11)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) encerra nesta terça-feira a etapa de provas gerais da segunda fase do processo seletivo 2011. Nesta tarde, os candidatos respondem a 24 questões dissertativas de ciências da natureza. Os 16.644 convocados para a segunda fase disputam 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). As provas serão realizadas em 21 cidades do país. Este ano, o horário de início da prova foi antecipado em uma hora. O acesso aos locais de prova será permitido das 12 às 13 horas.