18/01/2016 / Em: Clipping

 

Unicamp: 2ª fase começa hoje e encerra maratona de testes  (Correio Popular – Cidades – 17/01/16)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) dá início hoje à segunda fase do Vestibular 2016 com aplicação das provas de redação e língua portuguesa. O exame é às 13h, mas a orientação é para que o candidato chegue com, pelo menos, uma hora de antecedência. As provas seguem amanhã e terça-feira para os 15.848 aprovados. Em Campinas, 3.971 vão participar da segunda fase, que será aplicada na Unip (campus Swift) e no Ciclo Básico da Unicamp, em Barão Geraldo. Eles concorrem a 3.320 vagas em 70 cursos de graduação. Esta etapa encerra a maratona de quase três meses dos grandes vestibulares do País. O professor Edmundo Capelas de Oliveira, coordenador da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), alerta os candidatos principalmente em relação ao horário. “O candidato deve chegar cedo, com tranquilidade, portando seu material e documento de identidade com foto, levar uma foto 3×4 no primeiro dia. Com relação a celular, todos levarão, mas haverá um lugar apropriado para que seja colocado desligado: dentro de um saco próprio, ao lado da carteira, de preferência sem a bateria”, afirmou Capelas. Sobre as provas, o coordenador da Comvest diz apenas que elas cobrem todas as disciplinas do ensino médio. “Se é fácil ou se é difícil só depois a gente vai saber. Mas eu diria que é uma prova honesta, elaborada com carinho. Afinal, é um divisor de águas. Um filtro foi feito na primeira fase, agora é essa prova que vai dar a classificação.” De acordo com a Comvest, a segunda fase da Unicamp é constituída de provas idênticas para todos os candidatos, com questões dissertativas. Cada uma das provas é composta de seis questões, com exceção da redação, que é composta por duas propostas de textos. Diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante ,Célio Tasinafo chama a atenção para a diferença da redação da Unicamp em relação a outros vestibulares, como a Fuvest. “São duas redações no domingo, com gêneros diferentes Pode ter lá verbete, crônica, carta, texto para blog, resumo. E o aluno tem que atentar para o tema, produzir os textos dentro dos padrões da norma culta, mas não se esquecer do gênero. Fugiu do gênero, é morte”, afirmou. Célio ressaltou que as marcas do gênero textual devem estar muito claras. “É o aluno se preocupar com o que dizer e como dizer. ”Hoje, além da prova de redação, os vestibulandos respondem a prova de português. Amanhã, é a vez de história, matemática e geografia. No terceiro dia vai cair química, física e biologia. “São provas em que o aluno não deves e preocupar apenas com o conteúdo das respostas, mas em organizar as respostas. Se o candidato escreve de forma confusa, mistura tudo, não deixa claro o que o enunciado pede, ele pode morrer na praia”, afirmou Tasinafo. “Acredito que a prova do segundo dia não deve ter questões tão difíceis como a da Fuvest. Mas não quer dizer que vai ser fácil”, afirma. Tasinafo finalizou que “vestibular é conteúdo, mas também estratégia”, por isso, não adianta saber muito se não souber demonstrar isso na prova. Ele também chamou atenção para a organização do tempo. Para os candidatos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança ainda haverá outra etapa, ade habilidades específicas, que será realizada entre os dias 25 e 28 de janeiro em Campinas.

 

Unicamp: redação surpreende com texto científico   (Correio Popular – Cidades- 17/01/16)

As propostas das redações surpreenderam os estudantes no primeiro dia de provas da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). No primeiro texto, a universidade cobrou uma resenha a partir da fábula de La Fontaine – A deliberação Tomada pelos Ratos. A segunda redação pedia um texto de divulgação científica sobre o livro “O sentimento de si: corpo, emoção e consciência”, do neurocientista António Damásio. A abstenção no primeiro dia foi de 13,2%, maior que o ano passado, quando 11% dos candidatos faltaram. Esta etapa segue hoje com as provas de História, Matemática e Geografia. Amanhã será a vez de física, química e biologia. Na resenha, o candidato tinha que fazer uma síntese da fábula e a elaboração de uma situação social análoga à vivenciada pelos ratos, envolvendo um problema coletivo. No segundo texto, o candidato devia se colocar no lugar de um estudante de um curso de extensão e fazer um texto de divulgação científica com base na obra do neurocientista para publicar em um blog. A ideia era que o candidato divulgasse a ideia do autor para um público mais amplo, explicando o que são os indutores de emoção. “A ideia tanto da resenha quanto do texto divulgação científica é expor o candidato a gêneros com os quais ele vai lidar na universidade” , disse o coordenador acadêmico da Comvest Petrilson Pinheiro. Para o estudante Caio Torre, de 16 anos, o que mais surpreendeu foi o texto de divulgação científica. “A resenha era normal, mas o texto científico me pegou de surpresa” , disse o candidato ao curso de engenharia da computação. O restante da prova – de língua portuguesa e literaturas da língua portuguesa – foi tranquilo, segundo Caio. “Acho que foi uma boa mistura entre gramática e literatura” , disse. Tatiani Aparecida Monteiro da Silva, de 17 anos, é candidata do curso de Administração e achou a prova complicada, mas acessível. “Não tinha praticado um dos gêneros, de divulgação científica. Mas a resenha foi mais fácil porque treinei bastante e gostei do tema” , disse. Luísa Nicoleti, de 16 anos, que presta o vestibular como treineira, disse que os textos de base para as redações ajudaram muito. “Não tinha feito nenhum texto sobre divulgação científica. Achei complicado, mas os textos de base tinham temas legais e ajudaram bastante” . Sobre a prova de português e literatura ela disse que não foi complicada, mas quem não leu os livros se deu mal. “Eu não li um dos livros e fiquei sem base para responder uma das questões” , afirmou. O diretor pedagógico da Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, disse que as propostas de redação não foram realmente fáceis. “No primeiro texto, os estudantes tinham que dominar os dois gêneros, resenha e fábula, para produzir o texto de forma adequada. Apesar disso, achei o texto dois ainda mais difícil porque tinham que transformar informações de um texto acadêmico, de acesso restrito e para um público mais qualificado, em um texto com as mesmas informações, acessível a todos os públicos” . Para Célio, o desafio do segundo texto era ter um vocabulário amplo e escrever um texto acessível sem adulterar as informações do texto acadêmico.


Primeiro dia da 2ª fase da Unicamp exigiu muita interpretação de texto  (Folha Online – Educação – 17/01/16)

O primeiro dia de provas da segunda fase da Unicamp, realizado neste domingo (17), teve questões difíceis, que exigiram muita interpretação de texto, de acordo com professores de cursinhos. A prova, que já está disponível no site da Comvest da Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp), incluiu duas questões de redação e seis de língua portuguesa. Na redação, os alunos tiveram que produzir dois textos: uma resenha de uma fábula de La Fontaine e um texto de divulgação científica a partir de um artigo sobre indução de emoções do neurologista português António Damásio. “O candidato tinha que ler bem os enunciados, compreender, e produzir um novo texto em cima das informações que já estavam lá. Tinha pouca margem para a criação do estudante e exigia muita habilidade de leitura”, diz Henrique Braga, supervisor de português e redação do Anglo Vestibulares.  Para Nelson Dutra, coordenador de português do Objetivo, o texto científico exigia do aluno um conhecimento prévio do gênero, que pede mais formalidade. Já na resenha, o estudante deveria produzir um comentário crítico sobre a fábula, despertando o interesse do leitor.  “Isso pode ser algo difícil para os estudantes, que, muitas vezes, não se interessam por literatura. A Unicamp sempre consegue surpreender”, afirma Dutra.

 

Unicamp tem 13,2% de abstenção em primeiro dia da segunda fase  (Folha Online – Educação – 17/01/16)

Dos 15.848 aprovados para a segunda fase do vestibular da Unicamp, 2.089 não compareceram ao primeiro dia de provas da última etapa da seleção, que começou neste domingo (17). A abstenção, de 13,2%, é a maior dos últimos anos. Em 2015, 11% dos aprovados não compareceram; em 2014, 11,3%. Os quase 14 mil candidatos fizeram provas de redação, com duas propostas de textos a serem desenvolvidas, além de questões de língua portuguesa e de literatura. As provas já estão disponíveis no site da Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp). A segunda fase do vestibular vai até terça-feira (19) e é realizada em 21 cidades do Estado. As provas têm início às 13h e duram quatro horas. Nesta segunda-feira (18), os estudantes farão provas de história, matemática e geografia. Na terça (19) é a vez de química, física e biologia. Cada uma das provas é composta por seis questões dissertativas. Os estudantes concorrem a 3.320 vagas em 70 cursos de graduação. Segundo a Comvest, os candidatos devem levar o documento de identidade original indicado no ato da inscrição, caneta preta de material transparente, lápis preto e borracha.  São proibidos celulares, equipamentos eletrônicos, relógios digitais, corretivo líquido, lapiseira, caneta marca texto, bandana, lenço, boné e chapéu.  As provas de habilidades específicas, para os cursos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança serão realizadas em Campinas, entre os dias 25 e 28 de janeiro.


Para cursinhos, 2ª fase da Unicamp priorizou interpretação de textos   (Globo.Com – G1 Vestibular – 17/01/16)

A Unicamp aplicou neste domingo (17) a primeira prova da 2ª fase do vestibular 2016 para as 3.320 vagas em 70 cursos de graduação. Na avaliação de especialistas, a chave para o bom desempenho nesta etapa do vestibular foi a interpretação de textos. Na prova deste domingo os candidatos tiveram seis questões propostas, todas com respostas dissertativas. Houve também duas propostas de redação: uma era a resenha de uma fábula do escritor francês La Fontaine, outra era um artigo de divulgação de um texto científico (do neurocientista Antônio Damásio) que falava sobre indução de emoções. Ao todo, foram aprovados para esta fase, 15.848 candidatos que disputam 3.320 vagas em 70 cursos de graduação na universidade. Este número representa 20,4% dos 71.387 candidatos inscritos na primeira etapa do exame.

 

Para candidatos, 2ª fase da Unicamp teve grau de dificuldade médio   (Globo.Com. G1 Vestibular – 17/01/16)

No primeiro dia de provas da  2ª fase da Unicamp, já era possível ver estudantes saindo assim que os portões foram abertos, por volta das 15h30 deste domingo (17). A maioria dos estudantes considerou que o nível de dificuldade da prova foi médio. A reportagem do G1 acompanhou a saída de alguns deles na Unip de Campinas, um dos locais com o maior número de candidatos.


Unicamp 2016: 1º dia da 2ª fase tem fábula e texto científico   (UOL – Notícias – 17/01/16)

Os professores de cursinhos pré-vestibulares ouvidos pelo UOL neste domingo (17) disseram que as questões do 1º dia da segunda fase do vestibular 2016 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) apresentaram dificuldade entre médio e difícil. Neste domingo, foram aplicadas as provas de redação e língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa. Em redação, a Unicamp pediu dois textos: uma resenha crítica a partir da leitura de uma fábula e um texto de divulgação científica sobre um trecho de um livro do neurocientista António Damásio. “Os dois textos, tanto o de divulgação e quanto a resenha, exigiam do candidato, além da modalidade de escrita, um domínio de leitura”, disse Nelson Dutra, coordenador de literatura do Curso e Colégio Objetivo. “A resenha sempre foi um dos gêneros que os professores apostavam para o vestibular da Unicamp”, diz Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante. “Para fazer esse texto, o candidato tinha que saber tanto qual é a estrutura de uma fábula, quais são os seus elementos constitutivos, quanto da resenha crítica”, afirma Tasinafo.


Vestibulandos têm mais um dia de prova   (Jornal Cruzeiro do Sul – Sorocaba e Região – 18/01/16)

Acontece hoje mais uma etapa da segunda fase do Vestibular Unicamp 2016. A partir das 13h, os candidatos farão as provas de História, Matemática e Geografia na Universidade Paulista (Unip). A segunda fase do vestibular começou ontem, com duas provas: Redação e Língua Portuguesa, e Literaturas de língua portuguesa, feitas por 392 candidatos em Sorocaba. Na cidade, a abstenção ficou em 12,7%. Em todos os locais de prova, foram 13.759 candidatos presentes, com abstenção de 13,2%. Os dados são da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest). Em 2015 a abstenção foi de 11%, em 2014 de 11,3% e em 2013 de 12,2%. Dos 15.848 aprovados para a segunda fase, 2.089 não compareceram.