21/08/2013 / Em: Clipping

 


Unesp adia meta de 50% de vagas a alunos da rede pública para 2018   (Globo.Com – G1 Vestibular – 20/08/13)

O Conselho Universitário da Universidade Estadual Paulista (Unesp) aprovou, na semana passada, o adiamento do prazo final para que o índice de reserva de vagas para alunos oriundos de escolas públicas chegasse a 50%, meta do Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp), do governo estadual. A reunião aconteceu no dia 15 de agosto. O Pimesp havia sido parcialmente aprovado pela instituição em abril deste ano, mas a meta era que até o final de 2016. Agora, a meta foi ampliada para 2018. De acordo com a assessoria de imprensa da Unesp, dentro da reserva de vagas para estudantes que fizeram o ensino médio na rede pública, a cota para alunos negros, pardos e indígenas será de 35%, o que, segundo a Unesp, é o porcental dessa população no Estado de São Paulo, segundo o censo do IBGE de 2010. “As metas deverão ser atendidas ao longo dos próximos 5 anos da seguinte forma: 15% (2014), 25% (2015), 35% (2016), 45% (2017), 50% (2018). Essa deliberação amplia o prazo de três anos 2014-2015-2016, aprovado anteriormente em abril. O preenchimento das vagas seguirá a ordem de classificação do vestibular”, afirmou a Unesp, em nota.



Unesp aprova a adoção de cotas no vestibular   (Folha Online – Educação – 20/08/13)

A Unesp aprovou em última instância a adoção de cotas no seu vestibular. A instituição será a única das três estaduais paulistas a adotar a reserva de vagas, a exemplo do que está em curso nas federais.  Com a decisão, a universidade terá, em 2018, metade dos ingressantes provenientes de escolas públicas, em cada curso; 35% deles deverão ser pretos pardos e indígenas.  A implementação começa já no próximo vestibular, com uma cota de 15% para a escola pública. A decisão foi tomada pelo Conselho Universitário no último dia 15. Em abril, a universidade havia aprovado a adoção de metas, mas não havia definido como atingiria os percentuais. O objetivo era chegar aos percentuais até em 2016, prazo que foi postergado com a decisão deste mês. Na Unesp, serão chamados estudantes até que se complete os percentuais estipulados, modelo semelhante ao implementado nas universidades federais. A participação da rede pública hoje na Unesp já é de 40%, mas há grande variação entre as áreas. Em medicina, por exemplo, é de 2%.