23/11/2010 / Em: Clipping

 


Unicamp divulga gabarito da primeira fase do vestibular 2011; veja  (UOL – Vestibular – 22/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou nesta segunda-feira (22) o gabarito da primeira fase do vestibular 2011; veja aqui. O exame foi aplicado ontem (21). Até sexta-feira (26), a instituição deve divulgar a expectativa da banca de redação sobre os três textos exigidos dos candidatos. Estão em disputa 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Houve exame em 24 cidades brasileiras. Ao todo, eram esperados para as provas 57.209 candidatos.



Sai gabarito da primeira fase do vestibular da Unicamp (Universia Brasil – Pré Universitário – 22/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou nesta segunda-feira, 22 de novembro, o gabarito e a prova da primeira fase do vestibular 2011. Apenas 6,86% dos candidatos inscritos, não realizaram o exame, aplicado no último domingo (23) em 24 cidades brasileiras.



Unicamp divulga gabarito da primeira fase do vestibular 2011  (Terra – Vestibular – 22/11/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), que seleciona candidatos para a Unicamp, divulgou nesta segunda-feira o gabarito das provas da primeira fase do vestibular 2011 da instituição. Veja aqui o gabarito oficial. Os candidatos aos cursos da universidade fizeram três textos de gêneros diversos, e 48 questões de múltipla escolha, sendo 12 de Matemática; 18 de Ciências Humanas e Artes; e 18 de Ciências da Natureza. A Unicamp registrou um número recorde de candidatos em seu vestibular 2011, totalizando 57.201 inscritos.



Divulgado o gabarito da primeira fase da Unicamp  (IG – Último Segundo – 22/11/10)

O gabarito da primeira fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi divulgado na manhã desta segunda-feira, dia 22. A prova de 48 questões e três redações foi realizada no domingo. Até sexta-feira, a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) também vai divulgar a expectativa da banca de redação sobre os três textos exigidos dos candidatos. A lista de aprovados para a segunda fase será divulgada no dia 20 de dezembro, juntamente com os locais de prova. A segunda fase acontece entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. As provas de aptidão, para os cursos que as exigem, serão realizadas entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas. Na primeira fase, 53.284 estudantes fizeram a prova, na disputa por umas das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp).



Unicamp divulga gabarito do vestibular (O Estado de S.Paulo – Educação – 22/11/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgou o gabarito das questões do processo seletivo realizado ontem na manhã desta segunda-feira, 22. A expectativa da banca de redação deve sair até sexta-feira. Os 53.284 candidatos a uma das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e 2 cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) fizeram ontem a prova da primeira fase do vestibular. A abstenção, de 6,86%, foi superior à registrada no ano passado. Dos 57.209 inscritos no vestibular 2011, 3.925 candidatos não compareceram para fazer o exame. A prova já está disponível para consulta neste site. A lista de aprovados na primeira fase será divulgada no dia 20 de dezembro, neste site, juntamente com os locais de prova da segunda fase, que ocorre entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011.



Unicamp libera o gabarito oficial da prova da 1ª fase  (EPTV – Virando Bixo – 22/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) liberou nesta segunda (22) o gabarito da prova da 1ª fase do Vestibular 2011, realizada neste domingo (21). Nesta 1ª fase, o candidato teve que produzir três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória. Além disso, respondeu 48 questões de múltipla escolha, sendo 12 de Matemática, 18 de Ciências Humanas e Artes e 18 de Ciências da Natureza. Na sexta (26), será liberada a expectativa para as redações da banda examinadora. Neste ano, a Unicamp registrou um número recorde de inscritos. No total, 57.201 candidatos se inscreveram para disputar as 3.444 vagas oferecidas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). Desses, 53.284 compareceram para fazer a prova. A abstenção registrada pela Unicamp, portanto, foi de 6,86%. A lista de aprovados para a 2ª fase será divulgada em 20 de dezembro.



Unicamp divulga gabarito da 1ª fase do vestibular; veja (Folha Online – Educação – 22/11/10)

A Unicamp divulgou o gabarito da prova da primeira fase do vestibular,que aconteceu neste domingo, em 24 cidades do país. A expectativa da banca de redação deve ser divulgada até sexta-feira. A Comvest deve divulgar no dia 20 de dezembro a lista dos candidatos aprovados na primeira fase e locais de prova da segunda fase que será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro de 2011. Serão aplicadas três provas de 24 questões dissertativas. As provas de habilidades específicas, para os cursos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais, dança e música serão realizadas em Campinas (93 km de SP) entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2011. A primeira chamada será divulgada dia 7 de fevereiro e a matrícula dos convocados em primeira chamada deverá ser feita no dia 10 de fevereiro.



Gabarito da 1° fase da Unicamp já está disponível pra consulta (Folha Dirigida – Vestibular – 21/11/10)

Os candidatos que realizaram a primeira fase do vestibular 2011 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no último domingo, dia 21, já podem consultar o gabarito da prova. A consulta pode ser feita abaixo. O índice de abstenção nesta primeira etapa chegou a 6,86%, ou seja, dos 57.209 inscritos no vestibular, 3.925 candidatos não compareceram para fazer o exame. São oferecidas 3.444 vagas para os 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). A primeira etapa foi composta de 48 questões de múltipla escolha, elaboradas com base nos conteúdos das diversas áreas relativas ao ensino médio, sendo 12 de Matemática, 18 de Ciências Humanas e Artes e 18 de Ciências da Natureza. Além disso, foi cobrada também a elaboração de três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória. Serão convocados para segunda fase os candidatos que tiverem nota igual ou superior a 54 pontos na primeira prova, sendo o mínimo e o máximo de três ou oito vezes o número de vagas do curso escolhido, respectivamente. A lista de aprovados na primeira fase será divulgada no dia 20 de dezembro, bem como os locais da segunda etapa, que acontecerá entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. Para os cursos que exigem provas de aptidão, os exames serão realizados entre os dias 24 e 27 do mesmo mês, somente em Campinas.

O abismo que separa a educação de brancos e negros  (Folha Dirigida – Primeira Página – 23/11/10)

No último dia 20 de novembro foi celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra. O feriado foi criado para relembrar a morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, que lutou pela resistência do acampamento e pela libertação dos escravos. Mais que uma celebração, a data é uma oportunidade a mais de reflexão sobre as condições de inserção social e acesso à cidadania do povo negro no país. Embora não sejam poucas as tentativas de acabar com as diferenças entre negros e brancos, é notória a discrepância nas oportunidades de ensino entre estes dois segmentos da sociedade. E, no último dia 18, uma pesquisa do Instituto de Pesquisas Econômicas e Aplicadas (Ipea) apresentou, em números, o que já é possível constatar a partir de uma observação mais atenta nas escolas particulares e universidades, principalmente nas mais disputadas, onde as vagas, em sua maioria, são preenchidas por alunos brancos. Intitulado “Comunicado 66”, o estudo, feito com base na PNAD 2009, propôs uma análise da evolução da educação no Brasil entre 1992 e 2009 e revelou quadros detalhados da atual situação da escolarização da população brasileira. Entre os dados colhidos, é possível constatar que a raça é um fator que pesa em relação ao acessoa às oportunidades educacionais. O levantamento mostrou que, quanto ao tempo médio de escolarização, a população negra tem, em geral, menos um ano e sete meses de tempo de estudos, em comparação com a população branca. Considerando-se que o mesmo Ipea mostrou, em várias pesquisas, que cada ano na escola gera perspectivas maiores de remuneração no mercado de trabalho, este é um dado que, por si só, já mostra o tamanho das barreiras que a população negra enfrenta para alcançar ascensão social. Mas, a distância é ainda maior, em outros indicadores. No Brasil, a taxa de analfabetismo era de 9,7%, em 2009. O indicador já é ruim, em especial porque supera o registrado, até mesmo, em países como da própria América do Sul, como Equador, Chile e Argentina. Mas, entre os negros com 15 anos ou mais, o quadro é ainda pior: 13,4% deste contingente não sabe ler e escrever e escrever um simples bilhete. Entre os brancos, o percentual é de 5,9%.

Diferenças menores na Educação Infantil e no ensino fundamental

Na população de 15 a 17 anos, público potencial do ensino médio, a diferença no acesso também é marcante. Enquanto 60,3% dos brancos frequentam a escola, no caso dos negros, esta taxa é de 43,5%. Já na faixa de idade de 18 a 24, período, em tese, mais adequado para o ensino superior, os brancos representam 21,3% e os negros 8,3%. “A sociedade brasileira é uma das mais desiguais do mundo em que há uma distância maior entre os poucos que têm a maioria dos recursos produzidos e a grande maioria que produz mas é marginalizada nos resultados. E isso se aplica ao conjunto da sociedade e faz surgir esta diferença. A marginalização da população de modo geral, afeta, especificamente, os negros, por conta de não pertencerem à parte privilegiada da população”, afirma o filósofo e doutor em filosofia da Educação da PUC-SP e professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Dermeval Saviani. Para o estudioso, o fato de o negro ter maiores dificuldades no acesso à educação está diretamente ligado à sua condição socioeconômica. O dado é sustentado pelo diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, Jorge Abrahão, responsável pela pesquisa. “O perfil da população com menor escolaridade é rural, pobre, negra e localizada no Nordeste e nas periferias dos grandes centros; é um pouco do perfil da pobreza no Brasil. Ou seja, se confrontarmos os dados, veremos que as duas coisas estão ligadas. Apenas no quesito raça é que a situação tende para o lado da discriminação”, destaca Jorge Abrahão. No caso da Educação Infantil, as diferenças são menos acentuadas. O acesso às creches das crianças entre zero e três anos também é desigual, porém próximo, entre crianças brancas e negras: 19,9%, contra 16,6%, nesta ordem. O mesmo ocorre na educação de 4 a 6 anos. Neste caso, a diferença é pouca, mas há mais restrição para os negros (80,1%) do que entre os brancos (82,6%). Entre os que possuem 7 a 14 anos, público potencial do ensino fundamental, que está praticamente universalizado no Brasil (98% dos brasileiros, com esta idade, está matriculado), também não há grandes disparidades quando comparados sob as éticas regional, de localização, de gênero, raça ou cor e de renda, de acordo com o estudo.

Adoção de cotas raciais é saída que divide opiniões

A boa notícia é que a velocidade na redução da taxa tem sido maior para os negros, em média 0,76 ponto percentual ao ano contra 0,27 para os brancos. Além disso, a pesquisa mostrou que houve uma queda na taxa de analfabetismo. Ainda que lenta, a baixa tem sido constante. De 1992 até 2009, a taxa foi reduzida em 7,5 pontos percentuais. No período pesquisado houve também uma ampliação de cerca de 0,14 ano de estudo em média. No entanto, a população negra ainda está longe de ter acesso pleno à educação de qualidade. Para Frei Davi, diretor da ONG Educafro (Educação e Cidadania de Afro-descendentes e Carentes), a única forma de garantir isto é por meio de políticas que compensem as desigualdades. Em sua visão, a  razão para essa diferença no ensino é cultural. “A primeira dificuldade é que, a grande maioria dos negros, crescem em famílias onde os pais não tem tradição cultural de universidade e seus filhos, em consequência, não focam a formação superior como prioridade. Nenhuma nação do mundo conseguiu resolver 388 anos de escravidão sem criar políticas públicas compensatórias”, argumentou o educador que, por isto, defende os sistemas de cotas. “Quando saímos, há dez anos, lutando para criar cotas para os negros na universidades do Brasil, é porque tínhamos e temos a consciência de que este é o único caminho.”  Dermeval Saviani, no entanto, discorda da adoção de cotas como forma de minimizar as diferenças entre população negra e branca. “A correção dessas desigualdades passa pela abertura da sociedade, de modo a que a participação nos bens produzidos no conjunto da população seja decentemente ampliada. Passa também pela educação, pelo acesso, mas também por uma educação que busca remover os preconceitos que estão cristalizados a partir dessa história. A política de cotas é válida como uma situação transitória.” Saviani defende um sistema nacional de educação, coordenado pela União e assumido, em conformidade com a Constituição, pelos vários entes federativos. “A transferência da educação básica de estados para municípios eu considero negativa. A educação básica é uma questão fundamental que deve ser assumida pelo país em seu conjunto como um problema nacional e sendo nacional, coordenado pela União. Isso ajudaria na inclusão dos negros para a educação, seria fundamental”, finaliza o especialista.

“Em 50 alunos, só eu e uma colega eramos negros”, diz estudante

Discriminação é uma palavra que Luiz Henrique de Almeida Silva conhece de perto. Negro, pertencente à classe média, Luiz cursou toda sua vida escolar e acadêmica no ensino público. “Só consegui entrar na Uerj, na época, por varar as noites estudando enquanto trabalhava de dia”, disse. E naquele tempo, já percebia as diferenças. “No curso de Ciências Econômicas, em 50 alunos, apenas eu e mais uma colega éramos negros.” Luiz Henrique, porém, traçou uma trajetória bem diferente da maioria dos negros no país. Contradizendo as expectativas impostas pela sociedade, egresso do ensino público, o estudante concluiu duas universidades pelo sistema estadual e hoje cursa a pós-graduação. Quanto às dificuldades de acesso, Luiz revela não ter tido, porém se sentia deslocado na sala de aula. “Eu era um peixe fora d’água ao estudar, 30 anos atrás, num lugar onde praticamente só a elite tinha acesso.” Uma de suas conquistas foi também o serviço público, o sonho de muitos estudantes até hoje. “Passei para dois concursos públicos e nesses lugares o preconceito era bastante forte, principalmente em relação a um negro que ‘invadia’ o espaço das elites brancas”, revelou Luiz, completando que, em um deles, em meio a 70 funcionários, ele era o único negro. Hoje, além do curso de pós-graduação em Jornalismo Cultural pela Uerj, Luiz se dedica à sua grande paixão: o jazz, assunto o qual estuda há 30 anos e dá aulas e palestras. O caminho traçado por Luiz Henrique é a prova de que é possível obter sucesso, mesmo em condições menos favoráveis. “Olhando para o passado, vejo que consegui chegar aonde a maioria dos meus colegas do ginásio não chegaram, mas para isso foi necessário muitas noites acordado estudando e coragem para arriscar quando a vida profissional tendia a acomodação”, avaliou Luiz.



Unicamp divulga o gabarito oficial da primeira fase do vestibular 2011  (Globo On Line – Vestibular – 22/11/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta segunda-feira (22) o gabarito oficial da prova da primeira fase do vestibular 2011. A prova foi realizada neste domingo (21).  Os candidatos tiveram de produzir três textos na prova de redação e responderam a 48 questões de múltipla escolha. A prova foi considerada trabalhosa e exigiu boa administração do tempo, segundo professores. Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), a resolução da redação será divulgada na sexta-feira (26).



Sai gabarito oficial da primeira fase do vestibular da Unicamp  (Globo.Com – G1 Vestibular – 22/11/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou na manhã desta segunda-feira (22) o gabarito oficial da prova da primeira fase do vestibular 2011. A prova foi realizada neste domingo (21). Os candidatos tiveram de produzir três textos na prova de redação e responderam a 48 questões de múltipla escolha. A prova foi considerada trabalhosa e exigiu boa administração do tempo, segundo professores de cursos pré-vestibular. Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), a resolução da redação será divulgada na sexta-feira (26). A universidade registrou abstenção de 6,86% dos 57.209 inscritos no vestibular 2011, aplicado neste domingo (21). No total, 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase. Os candidatos disputam uma das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O vestibular ocorreu em 24 cidades do país: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos. A lista de aprovados na primeira fase será divulgada no dia 20 de dezembro, juntamente com os locais de prova da segunda fase, que acontece entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. As provas de aptidão, para os cursos que as exigem, serão feitas entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas. A primeira chamada será divulgada dia 7 de fevereiro e a matrícula dos convocados em primeira chamada deverá ser feita no dia 10 de fevereiro.



Confira o gabarito do vestibular da Unicamp  (Jornal Agora – Dicas – 23/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou ontem o gabarito oficial da primeira fase do vestibular 2011, realizada no último domingo. O caderno de questões também está disponível no site da Comvest. Até sexta-feira, a Comvest (comissão responsável pelo vestibular da Unicamp) deve divulgar uma análise de qual linha os alunos deveriam ter seguido na redação. Pela primeira vez, os candidatos tiveram de fazer três textos. Segundo a Unicamp, 53.284 estudantes fizeram a prova de domingo. Eles disputam 3.444 vagas em 68 cursos –66 da Unicamp e dois da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). Do total de inscritos, 6,86% (3.925) não compareceram à prova da primeira fase. O índice é superior ao registrado no ano passado (5,33%). A prova deste ano foi a primeira a ter questões de múltipla escolha. Foram 12 perguntas de matemática, 18 de ciências humanas e artes e 18 de ciências da natureza. A nota máxima nessa primeira fase é 96 pontos, sendo 48 pelo conjunto de perguntas e outros 48 pelas três redações obrigatórias. Para a segunda fase, serão convocados os candidatos que obtiverem nota igual ou superior a 54 pontos na primeira fase. Por outro lado, serão eliminados os candidatos que obtiverem nota zero na parte de redação ou na parte de conhecimentos gerais.

Calendário

A lista de aprovados para a segunda fase será divulgada no dia 20 de dezembro, junto com os locais de prova. A segunda fase acontece entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. As provas de aptidão, para os cursos que as exigem, serão realizadas entre 24 e 27 do mesmo mês.



Unicamp divulga gabarito da 1ª fase o vestibular 2011  (Correio Braziliense – Eu Estudante – 23/11/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgou o gabarito das questões. Já a expectativa da banca de redação, será divulgada nesta página até sexta-feira. Na disputa por umas das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase do Vestibular Unicamp 2011 no dia 21 de novembro, em 24 cidades brasileiras. A abstenção foi um pouco maior que no vestibular passado: 6,86% contra 5,33% no ano anterior. Dos 57.209 inscritos no Vestibular 2011, 3.925 candidatos não compareceram para fazer o exame. A prova está disponível nesta página, bem como os índices de abstenção por cidade. A lista de aprovados na primeira fase será divulgada no dia 20 de dezembro, nesta página. juntamente com os locais de prova da segunda fase, que acontece entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. As provas de aptidão, para os cursos que as exigem, serão feitas entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas.



Unicamp divulga gabarito da 1ª fase do Vestibular 2011  (Jornal de Jundiaí – Educação – 22/11/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgou nesta segunda-feira (22), o gabarito das questões da prova da primeira fase do Vestibular Unicamp 2011, realizada ontem, em 24 cidades do Brasil. A Comvest também vai divulgar, até sexta-feira, a expectativa da banca de redação sobre os três textos exigidos dos candidatos. A lista de aprovados para a segunda fase será divulgada no dia 20 de dezembro, juntamente com os locais de prova. A segunda fase acontece entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011. As provas de aptidão, para os cursos que as exigem, serão realizadas entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas. 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase do Vestibular Unicamp 2011, na disputa por umas das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. A abstenção foi um pouco maior que no vestibular passado: 6,86% contra 5,33% no ano anterior. Dos 57.209 inscritos no Vestibular 2011, 3.925 candidatos não compareceram para fazer o exame.



Unicamp divulga gabarito oficial da prova de domingo  (Revista Veja – Vestibular – 22/11/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta segunda-feira o gabarito oficial da prova da primeira fase do seu vestibular, que ocorreu neste domingo em 24 cidades do país. A prova era composta por 48 questões de múltipla-escolha e três redações. A Comvest, responsável pelo vestibular da Unicamp, deve divulgar ainda nesta semana a expectativa da banca de redação, ou seja, um documento que contém os pontos que deveriam ter sido abordados pelos alunos em seus textos, bem como a estrutura de uma redação bem escrita na opinião dos examinadores. Para divulgar sua expectativa, a banca lê a redação de alguns candidatos. Por isso, o documento só deve sair no fim da semana. No dia 20 de dezembro, serão publicados a lista dos candidatos aprovados na primeira fase e também locais de prova da segunda etapa do vestibular, que será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro.