24/08/2009 / Em: Clipping

 


Unicamp 2010: inscrições abertas até 6 de outubro   (Folha Dirigida – Vestibular – 21/08/09)

Estão abertas as inscrições para o vestibular 2010 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os interessados em participar devem se inscrever pela internet, na página eletrônica da Comvest, responsável pela seleção. Quem não possui computador, poderá se cadastrar no terminal de acesso disponibilizado na sede da organizadora, em Campinas. A taxa custa R$115. Seu pagamento deverá ser feito via boleto, em qualquer agência bancária, ou pelo banco via internet. O prazo se esgota no dia 6 de outubro. Candidatos que não concluíram o ensino médio poderão se cadastrar na seleção como treineiros. No entanto, estes estudantes não serão convocados para matrícula. Já os candidatos portadores de deficiências deverão à Comvest, por via postal, um laudo médico recente (original ou cópia autenticada).



Primeira juíza negra do país lança livro sobre o negro no século XXI (Correio da Bahia – 24/08/09)

O tom impessoal do livro O negro no século XXI é apenas uma opção estratégica. Escrito pela juíza baiana Luislinda Dias de Valois Santos, 67, reúne artigos sobre temas variados como cultura, educação, políticas públicas, justiça social e religião. Todos mediados pela experiência negra no país pós-escravidão.  Poderia ser a história da própria Luislinda, que teve avô escravo, pai motorneiro de bonde, cuidou dos irmãos menores quando a mãe morreu precocemente e só se formou advogada aos 39 anos. E era essa mesmo a intenção, quando ela começou a escrevê- lo. Seria um desabafo diante de mais uma situação difícil: dois processos contra ela , já arquivados por falta de provas, no Tribunal de Justiça da Bahia. Isto foi no início desta década. “Não fiz pesquisas. Tudo que falo é por conhecimento de causa”, afirma Luislinda, que lança o trabalho quarta- feira, às 19h30, na Saraiva Megastore (Salvador Shopping). Sobre a escola pública, por exemplo, fala com intimidade. Foi no Colégio Duque de Caxias, na Liberdade, que ouviu a sentença de um ex-professor, irritado por causa de seu pobre material escolar: “Se não pode comprar é melhor parar de estudar e ir cozinhar feijoada na casa de branca”. E se o tema é religião, recorda, foi testemunha das idas e voltas da tia Helena Grande a uma delegacia para pegar autorização para o funcionamento do terreiro de candomblé, no bairro de Pirajá. Mas Luislinda resolveu tirar o foco de si mesma,e tratar de temas caros à maioria.