24/08/2010 / Em: Clipping

 


Unicamp 2011: inscrições para o vestibular começam nesta segunda-feira (23)  (Folha Dirigida – Vestibular – 23/08/10)

Nesta segunda-feira, dia 23, terão início as inscrições para o vestibular 2011 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os interessados devem se cadastrar pela internet, na página eletrônica da Comvest, organizadora da seleção. O prazo se esgota no dia 8 de outubro. A taxa custa R$120 e deve ser paga via boleto, em qualquer agência bancária. O manual do candidato já pode ser consultado no site da organizadora. Os estudantes que tiverem cursado o ensino médio ou supletivo em escolas da rede pública poderão participar do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS), podendo ter até 30 pontos adicionados à sua nota final. Para tanto, o candidato deverá indicar a opção na ficha de inscrição. Estudantes negros, pardos e indígenas podem conquistar ainda mais 10 pontos adicionais pelo programa.  No total, serão ofertadas 3.444 vagas, distribuídas entre os cursos de graduação da Unicamp (3.320 vagas) e da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp – 124 vagas para os cursos de Medicina e Enfermagem). Este processo seletivo será realizado em duas fases. A primeira está marcada para o dia 21 de novembro. Já a segunda etapa terá exames nos dias 16, 17 e 18 de janeiro.

Redução da taxa

Entre esta terça e sexta-feira, dia 24 a 27, a Unicamp aceitará solicitações de redução em 50% do valor da taxa de inscrição. O pedido também deverá ser feito pela internet. Para concorrer, o candidato deverá preencher os seguintes requisitos: ser estudante regularmente matriculado no ensino fundamental e médio, em curso pré-vestibular ou curso superior; receber remuneração mensal inferior a dois salários mínimos ou estar desempregado. Estes candidatos deverão comparecer no próximo dia 31 à sede da Unicamp, no município de Campinas, munidos dos originais e cópias dos documentos comprobatórios de sua situação (confira a lista abaixo). O atendimento será feito das 9 às 20 horas. Os nomes dos beneficiados serão divulgados no dia 3 de setembro.



Inscrições abertas para o vestibular 2011 da Unicamp  (Globo On Line – Vestibular – 23/08/10)

As inscrições para o Vestibular Nacional Unicamp 2011 começam nesta segunda-feira e vão até o dia 8 de outubro, apenas através do site www.comvest.unicamp.br. A taxa é de R$ 120. Serão oferecidos 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O Manual do Candidato e a Revista do Vestibulando estão disponíveis na página da Comvest.  A partir deste ano, a primeira fase, no dia 21 de novembro, será composta por 48 questões de múltipla escolha, divididas da seguinte maneira: 12 de Matemática; 18 de Ciências Humanas e Artes; e 18 de Ciências da Natureza. Haverá também três redações, cada uma de um gênero diferente. A lista dos candidatos classificados para a segunda fase sairá em 20 de dezembro.  Já a segunda fase será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro de 2011. Cada uma das três provas terá 24 questões dissertativas. No primeiro dia, serão 12 de Língua Portuguesa e Literatura e 12 de Matemática; no segundo dia, serão 18 da área de Ciências Humanas e Artes e 6 de Língua Inglesa; e no terceiro dia, serão 24 questões da área de Ciências da Natureza. A prova da primeira fase durará cinco horas, enquanto na segunda fase, os candidatos terão quatro horas para realizar o exame.



Inscrições para vestibular da Unicamp começam hoje  (A Tarde/Salvador – Vestibular – 23/08/10)

As inscrições para o vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo, estão abertas a partir desta segunda-feira, 23, e vão até 8 de outubro. O formulário de inscrição está disponível no site da seleção da universidade (acesse aqui). A taxa de inscrição custa 120 reais. O Vestibular Unicamp 2011 oferece 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e em dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O Kit do Vestibulando (Manual do Candidato e Revista do Vestibulando) é gratuito e fica disponível para consulta e impressão na página eletrônica da Comvest também a partir desta segunda-feira. A partir deste ano, na primeira fase, o candidato deverá escrever três textos de gêneros diversos. O número de questões passará de 12 dissertativas para 48 de múltipla escolha. Essas questões serão elaboradas com base nos conteúdos das diversas áreas do conhecimento – 12 questões de Matemática; 18 de ciências humanas e artes; e 18 de ciências da natureza.



Unicamp abre inscrição para vestibular 2011

  (Jornal Agora – Dicas – 24/08/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) abriu ontem as inscrições para o processo seletivo de 2011. Os candidatos devem preencher o formulário no site da Comvest até o dia 8 de outubro. Na página da Comvest (Comissão Permanente para osVestibulares da Unicamp), o vestibulando também pode imprimir o boleto para pagar a taxa de R$ 120. São 3.444 vagas oferecidas nos 66 cursos da Unicamp e em dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto).



Isenção pode ser solicitada a partir desta terça   (Jornal dos Concursos – Universitário&  – 24/08/10)

A partir de hoje (24) podem ser realizados pedidos de redução parcial (50%) da taxa de inscrição do vestibular 2011 da Unicamp. Para requerer o benefício, os interessados devem acessar o site da organizadora do processo seletivo (www.comvest.unicamp.br) até as 18 horas do dia 27 de agosto. Podem solicitar a redução candidatos que cumulativamente preencham os seguintes requisitos: sejam estudantes matriculados em uma das séries do ensino fundamental ou médio ou curso pré-vestibular ou curso superior (graduação e pós-graduação); e estejam desempregados ou recebam menos de dois salários mínimos por mês.

Palestras sobre obras exigidas pela USP e Unicamp  (Jornal dos Concursos – Universitário& – 24/08/10)

Vestibulandos interessados em aprofundar repertório em relação às obras cobradas nos vestibulares da USP e Unicamp podem frequentar as aulas disponibilizadas pelo Cursinho do XI a partir deste sábado (28), às 15h30, na avenida Brigadeiro Luiz Antonio, 277, 5º andar (próximo ao metrô Sé). As atividades são gratuitas e, para participar delas, os estudantes devem se inscrever por meio do site: www.cursinhodoxi.com.br. Já neste sábado é a vez da palestra sobre a obra “Iracema”, de José de Alencar, que contará com duas horas de duração.



Unicamp recebe pedidos de redução de taxa para o vestibular 2011 até 27/8  (UOL – Vestibular – 24/08/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) recebe a partir desta terça-feira (24) os pedidos de redução parcial de 50% do valor da taxa de inscrição do processo seletivo 2011. A declaração de interesse poderá ser realizada até as 18h do dia 27 de agosto, no site da Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp). Para solicitar o benefício, o candidato deve preencher os seguintes requisitos:



Unicamp aceita pedidos de desconto da taxa de inscrição  (EPTV – Virando Bixo – 24/08/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) abriu nesta terça (24) o período para os pedidos de redução parcial (50%) da taxa de inscrição do Vestibular 2011. As solicitações devem ser feitas até as 18h desta sexta (27), exclusivamente no site www.comvest.unicamp.br. Podem solicitar a redução os candidatos que cumulativamente preencham os seguintes requisitos: sejam estudantes regularmente matriculados em uma das séries do ensino fundamental ou médio ou curso pré-vestibular ou curso superior (graduação e pós-graduação); e estejam desempregados ou recebam menos de dois salários mínimos por mês.



Falta de engenheiros aumenta importação de mão de obra (IG – Economia – 24/08/10)

Quando chegou ao Brasil, há 25 anos, o engenheiro inglês Barrie Lloyd Jones tinha um contrato de trabalho temporário de três anos para ocupar a posição de superintendência em uma empresa do setor de petróleo e gás. Vinha para suprir uma carência de mão de obra especializada e, desde então, não deixou mais o País. “De todos os lugares que eu visitei, o Brasil é o melhor”, diz o engenheiro, que já trabalhou em 13 países diferentes. Há três meses, Jones montou sua empresa de equipamentos de perfuração para exploração de petróleo, na região de Macaé (RJ) e enfrenta os mesmos problemas que seus antigos patrões: a falta de mão de obra especializada no País. “Estou com muito trabalho, porque temos poucos brasileiros especializados na área”, diz ele, que conta com dois estrangeiros em sua equipe. “Minha vontade é usar muito pouco estrangeiro. Quero montar uma equipe de pelo menos dez especialistas brasileiros”, completa. A dificuldade encontrada por Barrie Lloyd Jones retrata uma realidade do mercado brasileiro e uma tendência cada vez mais forte por aqui. Com a potencial escassez de mão de obra de engenheiros para os projetos futuros que se escancaram – com Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, pré-sal e o boom imobiliário – a chegada de engenheiros estrangeiros ao Brasil cresce a cada ano – e não deve parar de crescer, de acordo com números oficiais tabulados pelo iG. José Pastore, professor de Relações do trabalho da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP), diz que haverá uma defasagem de profissionais pelos próximos quatro anos, que será parcialmente compensada com a importação de mão de obra. “Depois disso, as faculdades terão condições de suprir a demanda interna.” Segundo dados da Coordenação Geral de Imigração do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), entre 2008 e 2009, o número de autorizações concedidas a engenheiros estrangeiros saltou 27%, de 2.712 para 3.542. Entre janeiro e julho deste ano, a entrada de estrangeiros no País já superou os números de 2008, com 2.804 autorizações. Caso mantenha o mesmo ritmo de crescimento nos próximos cinco meses, o Brasil encerrará 2010 com a entrada de 4,8 mil engenheiros estrangeiros, um crescimento de 39% em comparação com o ano passado.



Descrentes do governo, brasileiros desvalorizam até universidade pública ante privada  (Veja – Educação – 20/08/10)

Escola boa é escola paga. Esta crença, segundo especialistas ouvidos por VEJA.com, alimenta a percepção dos brasileiros de que o ensino privado no Brasil é melhor do que o público. O dado consta de pesquisa Ibope/CNI divulgada nesta sexta-feira. Por trás da convicção dos entrevistados está a descrença na capacidade de o estado brasileiro suprir as necessidades nacionais. Na visão de Remi Castioni, professor da Universidade de Brasília (UnB), o raciocínio do cidadão é, em linhas gerais, o seguinte: “Se saúde, política e transporte são ruins, então a educação pública também é, necessariamente, ruim”. A impressão dos brasileiros combina apenas em parte com as informações oriundas de avaliações dos sistemas de educação. De acordo com dados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2009, das mil melhores escolas brasileiras, apenas 9% pertencem à rede pública; entre as dez primeiras, apenas uma é mantida por um governo. Contudo, quando se avaliam as universidades, o quadro se inverte. Dados do Exame Nacional de Desempenho de Estudante (Enade) demonstram que apenas 25% das 293 universidades que obtiveram nota máxima (5) na prova são privadas.