26/01/2015 / Em: Clipping

 


A educação é prioritária? (O Estado de S.Paulo – Editorial – 26/01/15)

Em dezembro, o site do PT enfatizou a importância do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), lembrando que o primeiro governo de Dilma Rousseff firmou 1,12 milhão de contratos. O fundo concede empréstimos com juros favorecidos a alunos de universidades particulares e confessionais. Na mesma página, o site do PT também teceu loas ao Programa Universidade para Todos (ProUni), lembrando que, em seu primeiro mandato, Dilma concedeu 1,2 milhão de bolsas. Três semanas depois, pressionado pela necessidade de conter a dívida pública e reequilibrar o Orçamento, o governo mudou sem anúncio prévio as regras do Fies e do ProUni – programas que, ao lado do Ciência sem Fronteiras, foram bandeiras da campanha de Dilma pela reeleição. O Fies e o ProUni foram instituídos por lei, mas como as mudanças em suas regras foram impostas por meio de portarias, a Federação Nacional das Escolas Particulares questionou judicialmente a legalidade das alterações. Esse é mais um exemplo das trapalhadas de um governo incapaz de garantir a continuidade em suas iniciativas. Entre outras alterações, promovidas sem qualquer justificativa pedagógica, o Ministério da Educação passou a exigir dos candidatos a bolsa e a financiamento a média de 450 pontos no Enem. As mudanças pegaram de surpresa os estudantes às vésperas dos vestibulares e do prazo de inscrição no ProUni – além de terem deixado em posição delicada os responsáveis pelo site do PT. Também desorganizaram o planejamento das universidades particulares e confessionais, que detêm 70% das vagas do ensino superior.



Em cinco anos, número de inscritos no Sisu cresce 3,5 vezes; veja aprovados (Folha Online – Educação – 26/01/15)

Em 2010, pouco depois de o governo federal reformular o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), pouco mais de 793,9 mil candidatos participaram do Sisu, sistema on-line em que a prova é o único pré-requisito para ingresso em instituições públicas de todo o país. Os estudantes já podem consultar o resultado no site do Sisu. As matrículas poderão ser feitas nos dias 30 de janeiro, 2 e 3 de fevereiro. No início deste ano, o número de participantes saltou para 2.791.334 –montante 3,5 vezes maior. O balanço do Sisu deste início de ano foi feito nesta segunda-feira (26) pelo Ministério da Educação.