26/02/2016 / Em: Clipping

 

cid:image001.gif@01D16FE3.CFCAD190
Confirmação de matrículas ocorre hoje   (Correio Popular – Cidades – 26/02/16)

Os candidatos matriculados nas primeira, segunda e terceira chamadas do Vestibular 2016 da Unicamp devem confirmar a matrícula das 9h às 16h de hoje. A medida é obrigatória também para os candidatos que aguardam remanejamento. Os alunos que estão ingressando nos cursos noturnos poderão confirmar a matrícula no período das 18h às 21h. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp alerta que os candidatos que deixarem de fazer a confirmação dentro do prazo terão a matrícula cancelada e perderão a vaga. Os estudantes devem levar o documento de identidade para a confirmação da matrícula. Os maiores de18 anos que não puderem comparecer devem fazer a confirmação por procuração simples; ou por instrumento público e com assistência de um dos pais ou responsável legal, se o candidato for menor de 18 anos. A Comvest vai divulgar a quarta chamada no dia 2 de março, até as 24h. Estão previstas até dez chamadas .Antes disso, para continuar no processo seletivo, os candidatos que fizeram a segunda fase, não foram eliminados por nota zero e não tenham sido convocados para alguma de suas opções até a terceira chamada, deverão manifestar interesse pela vaga em cada uma das opções para as quais ainda não foram convocados. A declaração de interesse deve ser feita das 9h do dia 27 até as 17h do dia 29, por via eletrônica, na página da Comvest—www.comvest.unicamp.br.

Correio do Leitor (Correio Popular – Correio do Leitor – 26/02/16)

Unicamp 1

João Pedroso
Professor da rede estadual,
Campinas

A desinformação das pessoas quanto ao ensino gera preconceito e julgamentos errôneos. Gostaria de esclarecer que todo sistema de ensino obedece a um único cronograma, regido pela Secretaria Estadual de Educação, portanto, escolas particulares e públicas seguem o mesmo currículo. A diferença está na seletividade, pois a escola particular pode recusar matrículas. Na escola pública, a direção tem que obedecer ao ECA. O aluno de qualidade da escola pública é atraído pelas escolas particulares por concursos de bolsas. Comesses alunos vestindo a camisa da escola particular, a certeza de sucesso no vestibular é garantida, o que gera um marketing do sistema de ensino da escola particular. Trabalho na escola pública como professor de Matemática e Física, e pude comemorar o ingresso de alunos em universidades públicas, inclusive, em medicina.

Unicamp 2

Maria Nazareth Borges
Funcionária pública aposentada,
Campinas

Danilo Negreti se diz chocado com o preconceito e julgamento desses alunos que entraram na Unicamp pelas cotas pelo fato de eles ocuparem o lugar dos filhos da elite. “Uma senhora”, que por acaso tem nome e não precisa se esconder, nem é “daselite” afirma que não terão capacidade de acompanhar um aluno de escola particular. Acha um absurdo. Agora eu exijo que me explique por que os alunos de escolas públicas precisam receber os pontos dados pelo “desgoverno” que não lhes deu instrução, tomando o lugar de quem realmente a recebeu nas escolas particulares? vestibular existe para selecionar. Só para esclarecer, essa senhora tem dois filhos, bons médicos. Aliás, um deles trabalha exclusivamente em Centro de Saúde há mais de 25anos. Precisa, ainda, esclarecer que o seu neto acaba de ingressar no curso de Odontologia, sem precisar de quotas, com 17 anos, logo após terminar o segundo grau. Sinto muito se o desgoverno acabou coma Educação e agora queira tapar o sol com a peneira, fazendo média com quem buscou aprender, mas quase nada lhe ensinaram, talvez para ganhar votos.

Unicamp 3

Pedro
Martinez
Banespiano
aposentado,
Campinas

Tenho lido diversos pareceres de leitores a respeito das cotas nas universidades. Gostaria de salientar que sou contrário a qualquer tipo de cota.Todos devem mostrar competência na disputa por um lugar ao sol. Não importa se o candidato estudou em escola pública ou particular, se é branco, negro, amarelo, corintiano, são paulino, santista, palmeirense, pontepretano, bugrino, católico, protestante, defensor deste ou daquele partido político. O que importa é que ele tenha competência e capacidade. Mas dizer que os que cursaram escola pública são inferiores aos que cursaram escolas particulares e que, em virtude dessa pretensa inferioridade, todos serão prejudicados, é de uma infelicidade e de uma torpeza imensa. Digo isso por experiência própria.

‘Manual do Bixo’ gera repúdio entre alunos da Unicamp   (Correio Popular – Cidades – 26/02/16)

O Diretório Central dos Estudantes da Unicamp, em conjunto com outros centros acadêmicos e associações atléticas da universidade, preparou uma moção de repúdio a um guia distribuído aos calouros pela Atlética da Engenharia Mecânica, com conteúdo considerado machista e homofóbico. O “Manual de Sobrevivência do Bixo” tem frases como “ache beleza por partes: um dia você pega uma feia com coxa boa, outro dia uma feia com o peito bom” e “não existe mulher feia, você que não bebeu o suficiente”, entre outras declarações que causaram indignação em grupos de alunos.



Manual para calouros da Unicamp é acusado de machismo e homofobia    (UOL – Vestibular – 26/02/16)

O DCE (Diretório Central dos Estudantes) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou uma nota de repúdio à Associação Atlética de Engenharia Mecânica da Unicamp por ter distribuído aos calouros do curso, um “manual do bixo” contendo afirmações machistas e homofóbicas, além de apontar os novatos como seres inferiores. A nota foi assinada também por outras instituições discentes da universidade. Entre as frases consideradas machistas estão “ache beleza por partes: um dia você pega uma feia com coxa boa, outro dia uma feia com o peito bom” e “não existe mulher feia, você que não bebeu o suficiente”.



Ufes vai investigar denúncia de fraude no sistema de cotas   (Globo.Com – G1 Vestibular – 26/02/16)

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) disse que vai investigar as denúncias de fraude no sistema de cotas. Segundo nota publicada nesta quinta-feira (25), foi instaurado um processo administrativo para apurar o caso. No dia 13 de fevereiro, o Coletivo Negrada, organização de estudantes universitários negros e indígenas, protocolou uma denúncia no Ministério Público Estadual (MP-ES) e no Ministério Público Federal (MPF) sobre vestibulandos que fraudam a autodeclaração etnicorracial para se beneficiar pelas cotas no processo seletivo da universidade.