26/06/2014 / Em: Clipping

 


Unicamp inicia inscrição para receber visita de alunos no ‘Portas Abertas’   (Globo.Com – Campinas e Região – 25/06/14)

O evento Unicamp de Portas Abertas (UPA), marcado para 30 de agosto, está com inscrições abertas para as escolas de ensino médio de todo Brasil interessadas em conhecer de perto o cotidiano da instituição no campus do distrito de Barão Geraldo, em Campinas (SP). O cadastro deve ser feito pela internet. A organização espera público superior a 50 mil pessoas para visitas guiadas a faculdades e institutos. As atividades ficarão centralizadas no Centro de Convenções e no Pavilhão Básico, com a realização de palestras, apresentações e demonstrações. Já a programação cultural ocorrerá no estacionamento atrás da Biblioteca Central “Cesar Lattes” e na frente do Centro de Convenções. Neste ano, serão usadas diferentes formas de comunicação visual para atrair a atenção dos visitantes, como painéis contendo localizações e aplicativo para smarthphone. As palestras terão tradutor de língua brasileira de sinais (Libras), para os que necessitarem. Mais informações sobre a UPA podem ser consultadas aqui.



Novas diretrizes curriculares para cursos de Medicina entram em vigor   (EPTV   – Virando Bixo – 24/06/14)

As novas diretrizes curriculares nacionais dos cursos de Medicina entraram em vigor nesta segunda (23), com a publicação da Resolução 3/2014 no Diário Oficial da União. As escolas de Medicina terão até dezembro de 2018 para implementar as mudanças, informou a Agência Brasil. No entanto, nas turmas abertas a partir desta segunda, o novo currículo terá um ano para ser implantado.
Entre as principais mudanças, está o estágio obrigatório no Sistema Único de Saúde (SUS), na atenção básica e no serviço de urgência e emergência. Pela resolução, o internato deve ter a duração mínima de dois anos, com 30% da carga horária cumprida no SUS. Além disso, os estudantes serão avaliados pelo governo a cada dois anos. A avaliação será obrigatória e o resultado será contado como parte do processo de classificação para os exames dos programas de residência médica. A prova será elaborada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável por avaliações como o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). O Inep tem dois anos para começar a aplicar a avaliação. As diretrizes curriculares para cursos de Medicina vigentes até agora eram de 2001. A reformulação estava prevista desde o lançamento do Programa Mais Médicos. Pela nova resolução, o curso de graduação de Medicina continuará com seis anos de duração. Durante a discussão do programa, cogitou-se a ampliação para oito anos. A expectativa é de que 11.447 vagas em cursos de Medicina sejam abertas até 2017 — 3.615 em universidades federais e 7.832 em instituições particulares. Na residência, deverão ser oferecidas 12.372 novas vagas no mesmo período.



Apenas 40% dos professores têm dedicação exclusiva, diz pesquisa   (Folha Online – Educação – 25/06/14)

Somente 40% dos professores do Ensino Fundamental do Brasil têm dedicação exclusiva. A proporção brasileira de professores que trabalham em apenas uma escola é inferior à média de 82% encontrada pelo Talis (Pesquisa Internacional de Ensino e Aprendizado, sigla em inglês).  O dado foi divulgado nesta quarta-feira (25), em Paris, pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico). O estudo foi feito com mais de cem mil professores e diretores de escolas em 34 países pelo mundo. Os participantes responderam questões sobre liderança escolar, ambiente de trabalho, satisfação no trabalho e eficiência, práticas pedagógicas e expectativas, avaliação e feedback, aprendizado e desenvolvimento de oportunidades. A carga horária dos professores no Brasil é, em média, de 25 horas por semana –seis a mais do que a média do Talis. Os brasileiros gastam ainda de 10% a 22% mais tempo em outras atividades, como correção de tarefas e aconselhamento de alunos.



Dilma promete mais 100.000 bolsas no Ciência sem Fronteiras   (Veja – Educação – 25/06/14)

A presidente Dilma Rousseff lançou no início da noite desta quarta-feira a segunda etapa do programa Ciência sem Fronteiras, que oferece bolsas de estudos de graduação, mestrado e doutorado no exterior. Para a segunda etapa, Dilma prometeu mais 100.000 bolsas, que serão ofertadas para estudantes das áreas de engenharias, saúde e tecnologias. De acordo com a presidente, até o momento foram concedidas 83.200 bolsas na primeira etapa do programa, que começou em 2011. A promessa é que o governo atinja a marca de 101.000 bolsas prometidas inicialmente até setembro. Para isso, Dilma frisou a importância do setor privado, que na etapa inicial havia se comprometido a financiar 26.000 bolsas. “Já assinamos termos com institutos de pesquisa, mas quero falar, mais uma vez, da importância do investimento privado, que é essencial para aumentar o número de matrículas de brasileiros em cursos no exterior.” França, Reino Unido e Canadá serão os principais destinos da nova etapa do programa. Na primeira fase, esses países receberam, juntos, 27% do total de intercambistas. Ao todo, 40 países participam do programa. Dos cerca de 12.000 universitários que estão fora do país atualmente, 2.343 estão em Portugal.