26/08/2014 / Em: Clipping

 


Unicamp de Portas Abertas acontece neste sábado, no campus de Campinas   (EPTV – Virando Bixo – 26/08/14)

A Unicamp de Portas Abertas (UPA), que promove a visita de estudantes à universidade, terá a edição de 2014 neste sábado (30), das 9h às 17h, no campus de Campinas, localizado no distrito de Barão Geraldo. A previsão da organização é de que 50 mil pessoas participem. Os institutos terão uma programação específica para mostrar seus cursos e os projetos de que participam alunos de graduação e de pós-graduação. Haverá palestras, apresentações, demonstrações e visita guiada, entre outras atividades.



ONG capacita para a educação prática em exatas   (O Estado de S.Paulo – Educação – 25/08/14)

O Brasil tem o mais recente ganhador do “Nobel da Matemática”, o carioca Artur Avila Cordeiro de Melo, de 35 anos, que neste mês foi escolhido pela União Internacional de Matemática para receber a Medalha Fields, maior prêmio da área no mundo. Mas a realidade da educação básica brasileira está distante da excelência alcançada por Melo. O País, por exemplo, ocupa a 58.ª posição entre 65 países na prova de Matemática do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). Preocupada com o desempenho brasileiro na área de exatas, a ONG americana Worldfund capacita professores de escolas públicas da rede estadual de São Paulo para passarem o conteúdo do ensino médio não só com teoria, mas também com experimentos práticos. Tornando as aulas mais atraentes, o projeto pretende aproximar os estudantes dessas áreas e, com isso, descobrir possíveis talentos que nem sabiam que tinham afinidade com as ciências exatas.O passo escolhido para melhorar a performance dos alunos é aperfeiçoar as aulas dos professores. Para isso, a ONG capacita docentes das disciplinas de Matemática, Física, Química e Biologia. Chamado de STEM Brasil (sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), a iniciativa da ONG no País começou em 2009 e, depois disso, já formou mais de 1,7 mil professores em escolas públicas de Pernambuco, São Paulo e Rio Grande do Sul. Só neste ano, ela promove a formação continuada de docentes de 47 escolas integrais e coordenadores pedagógicos de 72 escolas integrais da rede estadual paulista. A estimativa de investimentos em 2014, feitos em parceria com empresas, chega a R$ 2 milhões.



Entenda por que estudar para o Enem é cada vez mais importante   (Folha Online – Educação/Blog da Sabine – 25/08/14)

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) surgiu como uma tentativa de fazer um diagnóstico do ensino médio brasileiro, considerado o maior gargalo da educação do país. No Brasil, sabe-se que os estudantes insistem na escola até chegar no ensino médio, quando desistem dos estudos. Era preciso entender o que estava acontecendo. Hoje, com o recorde de 9,5 milhões de inscritos para o próximo exame, que acontece nos dias 8 e 9 de novembro, o Enem se tornou peça fundamental para quem quer chegar ao ensino superior. A nota do Enem é considerada no processo seletivo de instituições de ensino superior de todo o país –públicas e privadas. Quem quiser ter uma bolsa de estudos em instituições privadas de ensino via Prouni ou uma bolsa em universidades estrangeiras pelo programa Ciência sem Fronteiras também precisará de uma boa nota do Enem.  Sair-se bem no Enem agora é fundamental. O problema é que nem todas as escolas estão preparadas para ensinar aos alunos o que será cobrado no exame. Quer um exemplo? O Enem é essencialmente multidisciplinar. Suas questões misturam contas (matemática) com geografia ou juntam história e português na mesma pergunta. Enquanto isso, as escolas continuam dividindo o conhecimento em caixinhas. O aluno aprende que geografia e biologia são duas áreas separadas –e têm professores distintos para cada disciplina. Além disso, a proposta do Enem é cobrar essencialmente “competências” e não “conteúdo”. Isso significa que o aluno deve estar preparado para comparar períodos históricos no lugar de saber detalhes sobre um período específico (Grécia Antiga, por exemplo). A maioria das escolas ainda se concentra nos detalhes de cada fase da história.



Uerj expulsa estudante de Administração por fraude no sistema de cotas sociais   (Globo On Line – Educação – 26/08/14)

A Uerj expulsou uma aluna de Administração, este mês, depois de ter comprovado que ela fraudou o sistema de cotas declarando informações socioeconômicas falsas. É o segundo caso de cancelamento de matrícula por burlar a reserva de vagas, adotada pela instituição há dez anos. O primeiro episódio envolveu o aluno de Medicina Bruno de Barros Marques, punido pelos mesmos motivos, como revelado pelo GLOBO em março. Assim como ele, a estudante expulsa agora declarou, ao se inscrever no vestibular da instituição, que sua família tinha uma renda bem mais baixa do que a verdadeira, segundo informações da procuradoria da universidade. O nome dela não foi divulgado pela instituição, mas constava de numa lista enviada à Uerj pelo Ministério Público (MP-RJ) com 41 aprovados no vestibular 2013 para apurar eventual falsidade em suas autodeclarações. Eles ingressaram na faculdade beneficiando-se da reserva de vagas para cotistas, a maioria se dizendo negros ou indígenas. Outros três alunos pediram cancelamento de suas próprias matrículas quando foram convocados a dar explicações sobre as denúncias em sindicâncias internas da Uerj. Eles eram estudantes de Nutrição, Relações Públicas e Psicologia. O MP investiga mais de 60 denúncias sobre o tema desde 2007, concentradas em um inquérito civil. Em acordo com o órgão, a universidade incluirá cláusulas mais rígidas no edital do vestibular deste ano, como a justificativa da autodeclaração da etnia. De acordo com o procurador da Uerj Bruno Garcia Redondo, a autodeclaração passará a prever campos para o vestibulando apontar os critérios que utilizou para firmar sua autodeclaração, quesitos semelhantes aos usado pelo IBGE no Censo, tais como: cor da pele, ascendência/ancestrais e contexto social a fim de que o declarante passe a fornecer dados minimamente mais objetivos. – Essas justificativas serão por múltipla escolha e por escrito, além de um campo genérico denominado “outro”, para o candidato escrever algum critério diverso do modelo que tenha utilizado – explica Garcia Redondo.Além disso, o edital conterá o alerta de que a falsidade na autodeclaração poderá ensejar punições na esfera penal (estelionato e outros delitos), administrativa (jubilamento) e civil (reparação ao erário), bem como que o aluno poderá ser convocado, ao longo do curso, para justificar sua autodeclaração à comissão responsável pelo tema. A autodeclaração deverá ser firmada de próprio punho pelo vestibulando e conterá os mesmos alertas do edital.