26/10/2010 / Em: Clipping

 


Unicamp divulga concorrência para vestibular 2011  (Universia Brasil – Pré Universitário, 22/10/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou a concorrência para o processo seletivo 2011. Nesta edição, foram registradas 57.201 inscrições para 3.444 vagas em 66 cursos da universidade e dois programas da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). A disputa geral ficou em 16,6 candidatos por vaga. O curso mais concorrido foi Medicina, com 104 candidatos por vaga. Na sequência, aparecem Arquitetura e Urbanismo (71,5/vaga), Medicina na Famerp (63/vaga) e Comunicação Social e Midialogia (38,7/vaga). Os locais de prova da 1ª fase serão divulgados no dia 11 de novembro e os exames estão marcados para o dia 21 de novembro. No dia 20 de dezembro será liberada a lista com os candidatos convocados para a segunda fase, agendada para os dias 16, 17 e 18 de janeiro. O resultado final do processo seletivo está previsto para sair no dia 7 de fevereiro.



Múltiplas escolhas  (O Estado de S.Paulo – Educação – 25/10/10)

No fim do ensino médio, o aluno tem de tomar uma série de decisões. Uma delas não tem nada a ver com a futura carreira. É a escolha  dos processos seletivos, que hoje são tão diversos que confundem o candidato. Prova com hora marcada, dinâmica de grupo, exames online, vestibular em  “parcelas” são exemplos que mostram quanto o cardápio para entrar em uma universidade ficou diversificado de uns anos para cá. Essa oferta variada resgata um pouco o quadro que existia entre 1911, quando os exames seletivos para universidades passaram a ser exigidos por lei, e a criação das fundações responsáveis pelos grandes vestibulares. No caso da USP, fundada em 1934, cada curso selecionava seus alunos da maneira que lhe convinha. As provas eram quase todas discursivas e exames orais eram comuns. Nos anos 60, com a explosão do público universitário, grupos de professores criaram, voluntariamente, fundações como Cescem, Cescea e Mapofei, responsáveis pela seleção de alguns cursos, da USP e de outras instituições, como Mauá e FEI. A unificação ocorreu apenas em 1976, com a criação da Fuvest. “As mudanças recentes mostram que é possível selecionar de várias maneiras. Cada instituição passou a ter mais ferramentas para escolher o perfil de candidato que lhe atrai mais”, afirma Leandro Tessler, ex-coordenador de vestibulares da Unicamp.