29/01/2009 / Em: Clipping

 


Fuvest e Unicamp divulgam esclarecimentos adicionais sobre a lista de leitura obrigatória (SejaBixo – Mural – 28/01/09)

A FUVEST – Fundação Universitária para o Vestibular, da USP, e a COMVEST – Comissão Permanente para os Vestibulares da UNICAMP vêm prestar os seguintes esclarecimentos, referentes à indicação da Antologia poética, de Vinicius de Moraes, obra que integra a lista comum de leituras obrigatórias para os concursos vestibulares dos anos de 2010 e seguintes:

1. Ao indicar a 2ª edição revista e aumentada, de 1960, como texto de referência da mencionada Antologia, teve-se em vista proporcionar aos candidatos o contato com uma seleção de poemas feita pelo próprio autor, o qual fixou, naquela data, o conjunto de poemas depois reproduzido, com alterações de pormenor, nas edições sucessivas da Livraria José Olympio Editora S.A., a partir de 1967. Posteriormente, nos anos de 1990, a mesma seleção passou a ser publicada pela editora Companhia das Letras, também com pequenas modificações. De todas essas edições, consta uma “Advertência” do Autor, na qual ele expõe seus critérios de seleção e o sentido que atribui ao conjunto. Para tirar as dúvidas confira no site www.fuvest.br, a relação completa dos poemas que integram esse conjunto.




Fuvest e Unicamp divulgam quais poemas serão cobrados no vestibular 2010  (Globo On Line – Vestibular – 28/01/09)

A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), da USP, e a Comissão Permanente para os Vestibulares da UNICAMP (Comvest) divulgaram uma nota para esclarecer dúvidas sobre a indicação da Antologia poética, de Vinicius de Moraes, obra que integra a lista comum de leituras obrigatórias para os concursos vestibulares dos anos de 2010 e seguintes.  1. Ao indicar a 2ª edição revista e aumentada, de 1960, como texto de referência da mencionada Antologia, teve-se em vista proporcionar aos candidatos o contato com uma seleção de poemas feita pelo próprio autor, o qual fixou, naquela data, o conjunto de poemas depois reproduzido, com alterações de pormenor, nas edições sucessivas da Livraria José Olympio Editora S.A., a partir de 1967. Posteriormente, nos anos de 1990, a mesma seleção passou a ser publicada pela editora Companhia das Letras, também com pequenas modificações. De todas essas edições, consta uma “Advertência” do Autor, na qual ele expõe seus critérios de seleção e o sentido que atribui ao conjunto.

2.Para dirimir dúvidas, apresenta-se, a seguir, a relação completa dos poemas que integram esse conjunto:

– O olhar para trás
– A uma mulher
– Ilha do Governador
– Ausência
– O incriado
– A volta da mulher morena
– A mulher na noite
– Agonia
– A legião dos Úrias
– Alba
– O escravo
– A música das almas
– Três respostas em face de Deus
– Poema nº três em busca da essência
– O poeta

O nascimento do homem
– Viagem à sombra
– Balada feroz
– Invocação à mulher única
– A máscara da noite
– Vida e poesia
– Sonata do amor perdido
– A brusca poesia da mulher amada
– O cemitério na madrugada
– Solilóquio
– A vida vivida
– Ariana, a mulher
– Elegia quase uma ode
– Elegia lírica
– Elegia desesperada
– Elegia ao primeiro amigo
– A última elegia
– O falso mendigo
– Soneto de intimidade
– Ária para assovio
– Soneto à lua
– Soneto de agosto
– A mulher que passa
– Soneto a Katherine Mansfield
– Balada para Maria
– Soneto de contrição
– Ternura
– Soneto de devoção
– Soneto de fidelidade
– Poemas para todas as mulheres
– A morte
– A partida
– Marinha
– Os acrobatas
– Paisagem
– Balada do cavalão
– Canção
– Quatro sonetos de meditação:

I
II
III
IV

– O riso
– Pescador
– Soneto de despedida
– Sinos de Oxford
– Trecho
– Mar
– Balada da praia do Vidigal
– Soneto de Londres
– Cântico
– A um passarinho
– A estrela polar
– Soneto do maior amor
– Imitação de Rilke
– Balada do enterrado vivo
– Epitáfio
– Allegro
– Soneto de véspera
– Balada do Mangue
– Soneto a Otávio de Faria
– Rosário
– O escândalo da rosa
– Soneto ao inverno
– Marina
– Soneto de Quarta-feira de Cinzas
– Sombra e luz
– Saudade de Manuel Bandeira
– Azul e Branco
– Soneto de separação
– Balada de Pedro Nava (O anjo e o túmulo)
– Soneto de carnaval
– Balada das meninas de bicicleta
– Poema de Natal
– O dia da Criação
– Balada dos mortos dos campos de concentração
– Repto
– O poeta e a lua
– Soneto da rosa
– Valsa à mulher do povo
– Cinepoema
– Mensagem à poesia
– O tempo nos parques
– A manhã do morto
– Mensagem a Rubem Braga
– Balada da moça do Miramar
– Balanço do filho morto
– Balada das arquivistas
– A Verlaine

– A bomba atômica
– Aurora, com movimento (Posto 3)
– Balada do morto vivo
– Sacrifício da Aurora
– Soneto da mulher inútil
– O rio
– Bilhete a Baudelaire
– A morte de madrugada
– O assassino
– Poema enjoadinho
– Soneto do só ou Parábola de Malte Laurids Brigge
– A pera
– A paixão da carne
– A ausente
– A rosa de Hiroshima
– Tríptico na morte de Sergei Mikhailovitch Eisenstein
– Pátria minha
– O crocodilo
– História passional, Hollywood, Califórnia
– Epitalâmio
– Conjugação da ausente
– O filho do homem
– Soneto de aniversário
– Poética (I)
– Elegia na morte de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes, poeta e cidadão
– Desert Hot Springs
– Retrato, à sua maneira (João Cabral de Melo Neto)
– A hora íntima
– Menino morto pelas ladeiras de Ouro Preto
– Poema dos olhos da amada
– O poeta Hart Crane suicida-se no mar
– A brusca poesia da mulher amada (II)
– A quem vem de longe
– Receita de mulher
– Balada negra
– Soneto do amor total
– Balada das duas mocinhas de Botafogo
– Máscara mortuária de Graciliano Ramos
– O mergulhador
– Poema de Auteil
– O operário em construção

*NB: O título “O nascimento do homem” consta apenas da Antologia poética (1992) da Companhia das Letras, na qual designa um desmembramento do texto

“O poeta”.

3. Pode-se ter acesso aos poemas aqui relacionados consultando-se as edições já mencionadas e, também, a obra Poesia completa e prosa, da Editora Nova Aguilar. Em meio digital, esses poemas podem ser encontrados no site ( www.viniciusdemoraes.com.br ). A editora Companhia das Letras comunicou, recentemente, que tem no prelo uma edição de bolso da coletânea organizada por Vinícius de Moraes.

*NB: – a) É importante não confundir a primeira edição da Antologia poética (Rio de Janeiro, Ed. A Noite, 1954), disponível também no sítio do poeta, com a edição aumentada, impressa nas edições anteriormente mencionadas.

b) É igualmente importante não confundir a edição aqui indicada com a Nova antologia poética (São Paulo, Companhia das Letras, 2003 – reed. em 2008, organizada por A. Cicero e E. Ferraz), que obedece a critérios de seleção diferentes.



Fuvest e Unicamp divulgam quais poemas serão cobrados em 2010  (Gazeta do Povo – Educação – 28/01/09)

A Fuvest, que aplica o vestibular da Universidade de São Paulo (USP), da Santa Casa e da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, e a Unicamp divulgaram uma nota nesta quarta-feira (28) para esclarecer dúvidas sobre a indicação da Antologia poética, de Vinicius de Moraes, obra que integra a lista comum de leituras obrigatórias para os vestibulares 2010.

1. Ao indicar a 2ª edição revista e aumentada, de 1960, como texto de referência da mencionada “Antologia”, teve-se em vista proporcionar aos candidatos o contato com uma seleção de poemas feita pelo próprio autor, o qual fixou, naquela data, o conjunto de poemas depois reproduzido, com alterações de pormenor, nas edições sucessivas da Livraria José Olympio Editora S.A., a partir de 1967.

Posteriormente, nos anos de 1990, a mesma seleção passou a ser publicada pela editora Companhia das Letras, também com pequenas modificações. De todas essas edições, consta uma “Advertência” do Autor, na qual ele expõe seus critérios de seleção e o sentido que atribui ao conjunto.

2. Para dirimir dúvidas, apresenta-se, a seguir, a relação completa dos poemas que integram esse conjunto:

– O olhar para trás – A uma mulher – Ilha do Governador – Ausência – O incriado – A volta da mulher morena – A mulher na noite – Agonia – A legião dos Úrias – Alba – O escravo – A música das almas – Três respostas em face de Deus – Poema nº três em busca da essência – O poeta – O nascimento do homem – Viagem à sombra – Balada feroz – Invocação à mulher única – A máscara da noite – Vida e poesia – Sonata do amor perdido – A brusca poesia da mulher amada – O cemitério na madrugada – Solilóquio – A vida vivida – Ariana, a mulher – Elegia quase uma ode – Elegia lírica – Elegia desesperada – Elegia ao primeiro amigo – A última elegia – O falso mendigo – Soneto de intimidade – Ária para assovio – Soneto à lua – Soneto de agosto – A mulher que passa – Soneto a Katherine Mansfield – Balada para Maria – Soneto de contrição – Ternura – Soneto de devoção – Soneto de fidelidade – Poemas para todas as mulheres – A morte – A partida – Marinha – Os acrobatas – Paisagem – Balada do cavalão – Canção – Quatro sonetos de meditação: I II III IV – O riso – Pescador – Soneto de despedida – Sinos de Oxford – Trecho – Mar – Balada da praia do Vidigal – Soneto de Londres – Cântico – A um passarinho – A estrela polar – Soneto do maior amor – Imitação de Rilke – Balada do enterrado vivo – Epitáfio – Allegro – Soneto de véspera – Balada do Mangue – Soneto a Otávio de Faria – Rosário – O escândalo da rosa – Soneto ao inverno – Marina – Soneto de Quarta-feira de Cinzas – Sombra e luz – Saudade de Manuel Bandeira – Azul e Branco – Soneto de separação – Balada de Pedro Nava (O anjo e o túmulo) – Soneto de carnaval – Balada das meninas de bicicleta – Poema de Natal – O dia da Criação – Balada dos mortos dos campos de concentração – Repto – O poeta e a lua – Soneto da rosa – Valsa à mulher do povo – Cinepoema – Mensagem à poesia – O tempo nos parques – A manhã do morto – Mensagem a Rubem Braga – Balada da moça do Miramar – Balanço do filho morto – Balada das arquivistas – A Verlaine – A bomba atômica – Aurora, com movimento (Posto 3) – Balada do morto vivo – Sacrifício da Aurora – Soneto da mulher inútil – O rio – Bilhete a Baudelaire – A morte de madrugada – O assassino – Poema enjoadinho – Soneto do só ou Parábola de Malte Laurids Brigge – A pera – A paixão da carne – A ausente – A rosa de Hiroshima – Tríptico na morte de Sergei Mikhailovitch Eisenstein – Pátria minha – O crocodilo – História passional, Hollywood, Califórnia – Epitalâmio – Conjugação da ausente – O filho do homem – Soneto de aniversário – Poética (I) – Elegia na morte de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes, poeta e cidadão – Desert Hot Springs – Retrato, à sua maneira (João Cabral de Melo Neto) – A hora íntima – Menino morto pelas ladeiras de Ouro Preto – Poema dos olhos da amada – O poeta Hart Crane suicida-se no mar – A brusca poesia da mulher amada (II) – A quem vem de longe – Receita de mulher – Balada negra – Soneto do amor total – Balada das duas mocinhas de Botafogo – Máscara mortuária de Graciliano Ramos – O mergulhador – Poema de Auteil – O operário em construção

*NB: O título “O nascimento do homem” consta apenas da Antologia poética (1992) da Companhia das Letras, na qual designa um desmembramento do texto “O poeta”.

3. Pode-se ter acesso aos poemas aqui relacionados consultando-se as edições já mencionadas e, também, a obra Poesia completa e prosa, da Editora Nova Aguilar. Em meio digital, esses poemas podem ser encontrados no site www.viniciusdemoraes.com.br . A editora Companhia das Letras comunicou, recentemente, que tem no prelo uma edição de bolso da coletânea organizada por Vinícius de Moraes.

*NB: – a) É importante não confundir a primeira edição da Antologia poética (Rio de Janeiro, Ed. A Noite, 1954), disponível também no sítio do poeta, com a edição aumentada, impressa nas edições anteriormente mencionadas.

b) É igualmente importante não confundir a edição aqui indicada com a Nova antologia poética (São Paulo, Companhia das Letras, 2003 – reed. em 2008, organizada por A. Cicero e E. Ferraz), que obedece a critérios de seleção diferentes.