29/04/2011 / Em: Clipping

 


Unicamp dá um ótimo exemplo (Folha Online – Educação – 29/04/11)

A Unicamp é a primeira universidade brasileira a começar a disponibilizar o conteúdo de suas aulas para qualquer pessoa e sem nenhum custo na internet. Como vai funcionar ainda vamos ver, mas a ideia já saiu do papel –e serve como um belo exemplo de como uma instituição pública pode, com baixo custo, ajudar a educação de um país. Quanto mais se usarem recursos multimídia, detalhando as aulas, mais atraente o material e mais chance de atrair alunos e ajudar a orientar outras faculdades. Todos, enfim, saem ganhando. Não imagino que se consiga substituir a força do presencial.



Quem somos nós?  (Editora Segmento – Revista de Ensino Superior – Edição 151)

Após uma grande expansão do ensino superior, iniciada nos anos de 1990, a taxa de crescimento de matrículas vem caindo gradualmente desde o final da década passada. A ampliação, que permitiu a inclusão de um número expressivo de jovens das classes C e D, hoje já não garante a manutenção das salas de aula cheias. As instituições agora devem lançar mão de outras estratégias que possibilitem continuar agregando cada vez mais alunos às fileiras da graduação. Especialistas afirmam que o crescimento das matrículas foi sustentado, nos últimos anos, pelas faculdades privadas que apostaram em políticas de preços populares aliadas à boa localização, como proximidade de metrôs e estações de ônibus. Porém, o público-alvo dessa ação começou a se esgotar. “O movimento de inclusão das classes C e D já aconteceu. Agora, a disputa entre as instituições vai acontecer em outro nível”, analisa o pesquisador Eugênio Machado Cordeiro, da Corus Educação. Ele lembra que hoje em dia, com faculdades que cobram até R$ 250 de mensalidade, praticamente todo mundo que trabalha tem a possibilidade de fazer um curso universitário.