31/10/2008 / Em: Clipping

 


MEC quer tornar pré-escola e ensino médio obrigatórios

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Uma proposta para ampliar o ensino obrigatório no país foi encaminhada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na terça-feira (28) pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. Hoje, a obrigatoriedade é apenas para o ensino fundamental que compreende crianças e jovens na faixa etária dos 6 aos 14 anos. Com a proposta do ministro, o tempo de estudo será ampliado para catorze anos, incluindo a pré-escola e o ensino médio. Dessa forma, a criança precisa ser matriculada na escola a partir dos 4 anos e permanecer até os 17.

“Começou um movimento na América Latina de que a obrigatoriedade do ensino deveria ser até os 17 anos. Nós então apresentamos uma emenda, justificando que essa medida seria inefetiva se não houvesse o complemento da pré-escola porque ela [pré-escola] é que garante o sucesso das crianças no ensino fundamental. Essa contra-proposta foi aceita, sobretudo pelo Chile e pela Argentina. Por isso encaminhei ao presidente esse projeto”, explicou Haddad.



Gasto com ensino superior é 6,7 vezes maior do que com educação básica

Dados são do Ministério da Educação.
Diferença vem caindo ao longo dos anos.

Do G1, em São Paulo

Dados do Ministério da Educação (MEC) mostram que o país investe 6,7 vezes mais nos universitários do que nos estudantes da educação básica. De acordo com as informações de 2006, que são as mais atuais, o custo de um aluno do ensino superior chega a R$ 11.820 por ano. Já para os estudantes da educação básica, o investimento médio é de R$ 1.773.

Veja aqui o percentual de investimentos por nível de ensino

Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, a diferença entre os investimentos na educação superior e na educação básica vem caindo. Em 2000, os gastos com o ensino superior eram 11,1 vezes maiores do que o investimento no ensino infantil, fundamental e médio.